Atlético

COPA DO BRASIL

Atlético cria pouco, perde nos pênaltis para a Chapecoense e é eliminado da Copa do Brasil

Empate sem gols em Chapecó leva decisão de vaga nas quartas de final para as penalidades; Ricardo Oliveira e Róger Guedes desperdiçaram cobranças

postado em 16/05/2018 21:42 / atualizado em 16/05/2018 21:47

Márcio Cunha/Diário Catarinense


Enviado especial a Chapecó

Assim como ocorreu no Independência no primeiro jogo, o Atlético teve dificuldades para superar a defesa da Chapecoense na noite desta quarta-feira. A Arena Condá foi palco de mais um empate sem gols entre as equipes. No fim das contas, vaga nas quartas de final da Copa do Brasil decidida nos pênaltis. Pelo lado alvinegro, Ricardo Olivera e Róger Guedes desperdiçaram as cobranças. Victor, por sua vez, defendeu o chute de Bruno Pacheco. Mas não foi suficiente. Vitória dos donos da casa por 4 a 3, e eliminação sofrida para os visitantes.

A etapa inicial foi de pouca criatividade. O Atlético teve a bola por mais tempo e até ensaiou uma pressão nos primeiros minutos, mas não foi produtivo. Os donos da casa, por sua vez, apostavam em bolas aéreas. Numa delas, Wellington Paulista exigiu uma grande defesa do goleiro Victor.

O início do segundo tempo também foi de maior volume ofensivo do Atlético. Ricardo Oliveira, de cabeça, e Róger Guedes, em finalização colocada, exigiram boas intervenções de Jandrei. As melhores chances, entretanto, foram da Chape. Os donos da casa tentaram, tentaram, mas não conseguiram tirar o zero do marcador.

Nos pênaltis, deu Chapecoense. Ricardo Oliveira teve a cobrança defendida por Jandrei, enquanto Róger Guedes finalizou para fora. Victor pegou a quarta finalização dos donos da casa e quase forçou as batidas alternadas, mas não evitou o gol de Rafael Thyere.


Próximos passos

Os confrontos das quartas de final da Copa do Brasil só serão conhecidos após a Copa do Mundo, por meio de sorteio na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Rio de Janeiro. As semanas previstas para a disputa de jogos desta fase da competição são as dos dias 1º, 8, 15 e 29 de julho.

O Atlético volta a campo neste sábado, a partir das 16h. O time alvinegro recebe o Cruzeiro no Independência. Na segunda-feira, às 20h, a Chapecoense visita o Internacional, no Beira-Rio. Os dois jogos valem pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

Bola no chão, mas pouca criatividade

Apesar de jogar fora de casa, o Atlético se propôs a ter a bola por mais tempo e ficar com o domínio ofensivo da partida. O principal desafogo do time nos primeiros minutos foi Róger Guedes, deslocado para o lado esquerdo do ataque. No meio, Gustavo Blanco e Cazares - que entrou no lugar de Luan - alternavam posições e tinham liberdade para buscar espaços em diferentes partes do campo. O time alvinegro, entretanto, não conseguia criar boas oportunidades.

A Chapecoense tentou - sem muito sucesso - começar a equilibrar a posse de bola a partir da segunda metade da etapa inicial. Os donos da casa tinham dificuldade para superar a defesa do Atlético, que tinha uma nova dupla de zaga, formada por Leonardo Silva e Bremer. A arma encontrada foi a bola aérea. Cobranças de faltas e escanteio cruzaram a área alvinegra com perigo, mas nem foram na direção do gol. Faltava criatividade às duas equipes.

A partir dos 30, a velocidade do jogo caiu, especialmente por conta do bom posicionamento defensivo dos times. O Atlético terminou o primeiro tempo com 63% de posse de bola, mas só conseguiu finalizar no alvo em chutes de longe de Otero e Ricardo Oliveira. Já no finalzinho, Wellington Paulista concluiu de cabeça um novo cruzamento exigiu grande defesa de Victor. No fim das contas, igualdade mantida no placar.

Zero mantido

Em apenas cinco minutos de segundo tempo, o Atlético criou mais chances claras para abrir o placar do que durante toda a etapa inicial. Róger Guedes, em uma finalização colocada, e Ricardo Oliveira, que completou de cabeça uma cobrança de escanteio, pararam em defesas do goleiro Jandrei. Daí em diante, pouca criatividade do lado alvinegro.

Do outro lado, a movimentação do ataque da Chapecoense começou a dar trabalho à defesa alvinegra. Aos 15’, Wellington Paulista se deslocou para a direita e cruzou na medida. Arthur Caike se antecipou a dois marcadores e saiu cara a cara com Victor. De primeira, finalizou para fora e desperdiçou grande oportunidade.

A intensidade ofensiva dos donos da casa aumentou. Bruno Pacheco, de falta, Wellington Paulista da entrada da área, e Canteros, numa cobrança de escanteio, assustaram. O bom momento acendeu a torcida alviverde.

O Atlético vivia o pior momento no jogo. Thiago Larghi colocou Erik e Elias nos lugares de Otero e Gustavo Blanco, respectivamente. A tentativa de recuperar o domínio do jogo, entretanto, não foi bem sucedida.

A parte final do segundo tempo foi parecida com os últimos minutos da primeira etapa: poucas chances de gol e erros de passe. O Atlético até tentou, com finalizações de Elias (para fora) e Cazares (defendida por Jandrei), mas não conseguiu tirar o zero do marcador. A definição foi para os pênaltis. Para as penalidades máximas, o time alvinegro perdeu o principal batedor. Por falta em Apodi, Fábio Santos recebeu o segundo cartão amarelo aos 47' e foi expulso.

Os pênaltis

1º do Atlético: Ricardo Oliveira chutou no canto esquerdo. Jandrei desviou a bola, que ainda tocou na trave antes de sair.
1º da Chapecoense: Wellington Paulista deslocou Victor e chutou do lado direito do goleiro para fazer o gol.
2º do Atlético: Luan bateu do lado direito de Jandrei, que pulou para o lado certo, mas não evitou o gol.
2º da Chapecoense: Luiz Antônio chutou no alto, do lado esquerdo, e deslocou Victor para fazer o gol.
3º do Atlético: Leonardo Silva chutoiu no alto, do lado esquerdo, e deslocou Jandrei para fazer o gol.
3º da Chapecoense: Nadson bate rasteira, do lado direito, e desloca Victor para fazer o gol.
4º do Atlético: Róger Guedes pegou embaixo da bola e finaliza para fora.
4º da Chapecoense: Bruno Pacheco chutou no meio e parou em defesa de Victor.
5º do Atlético: Cazares chuta do lado direito e desloca Jandrei para fazer o gol.
5º da Chapecoense: Rafael Thyere chuta, a bola bate na trave e entra. Chapecoense classificada.

CHAPECOENSE 0 (4) X (3) 0 ATLÉTICO

Chapecoense
Jandrei; Apodi, Rafael Thyere, Douglas e Bruno Pacheco; Amaral, Márcio Araújo e Canteros (Nadson, aos 41’ do 2ºT); Guilherme (Luiz Antônio, aos 38’ do 2ºT), Arthur Caike (Bruno Silva, aos 31’ do 2ºT) e Wellington Paulista
Técnico: Gilson Kleina

Atlético
Victor; Patric, Leonardo Silva, Bremer e Fábio Santos; Adilson (Luan, aos 47' do 2ºT); Otero (Erik, aos 17’ do 2ºT), Gustavo Blanco (Elias, aos 25’ do 2ºT), Cazares e Róger Guedes; Ricardo Oliveira
Técnico: Thiago Larghi

Cartões amarelos: Wellington Paulista, aos 41’ do 1ºT (CHA); Patric, aos 10’, e Fábio Santos, aos 30’, e aos 47' do 2ºT (ATL)
Cartão vermelho: Fábio Santos, aos 47' do 2ºT (ATL)

Motivo: jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil
Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Data e hora: quarta-feira, 16 de maio, às 19h30

Árbitro: Leandro Bizzio Marinho - SP (CBF)
Assistentes: Rogério Pablos Zanardo - SP (CBF) e Daniel Luis Marques - SP (CBF)

Tags: atleticomg interiormg futnacional seriea galo copadobrasil chapeco