Atlético

ATLÉTICO

Recuperação do Atlético passa por retomada de 'pilares' do elenco

Criticados recentemente, jogadores como Luan, Leo Silva e Otero retomaram bom futebol

postado em 23/10/2019 06:30 / atualizado em 22/10/2019 19:02

<i>(Foto: Bruno Cantini/Atlético)</i>
Após uma longa série negativa, o Atlético luta para se recuperar no Campeonato Brasileiro. E a volta dos bons resultados passa diretamente pela retomada de atuações consistentes de alguns dos pilares do elenco. Muito criticados em parte da temporada, jogadores como o zagueiro Leonardo Silva, o meia Rómulo Otero e o meia-atacante Luan assumiram protagonismo nas últimas partidas.

Ídolo do Atlético, Leo foi reserva durante toda a temporada. Quando jogou, não convenceu toda a torcida. O ápice das críticas ocorreu após a derrota por 1 a 0 para o Avaí, na Ressacada, em 23 de setembro. Naquela partida, o experiente defensor de 40 anos teve atuação insegura e cometeu pênalti em Jonathan.

A volta à titularidade foi no empate por 2 a 2 com o CSA, na estreia de Vagner Mancini no comando da equipe. O treinador o manteve no time na partida seguinte. E Leo Silva rendeu o esperado: ajudou a defesa do Atlético a sair ‘ilesa’ depois de 17 jogos e ainda fez o segundo gol da vitória por 2 a 0 sobre o Santos, no Independência.

No meio, Otero tem ganhado espaço. Após más atuações na volta do futebol saudita, o venezuelano teve boas atuações na reta final da passagem de Rodrigo Santana no comando do Atlético. Foi fundamental, por exemplo, na vitória de virada por 2 a 1 sobre o Ceará. Nesse domingo, deu assistência para Leo Silva e foi bastante participativo contra o Santos.

“Acho que já estou chegando ao meu nível. Quando você está bem fisicamente, você consegue fazer as coisas melhor, ajudar na defesa e atacar melhor. Estou me cansando só no final do jogo. Acredito que estou muito melhor fisicamente do que na época em que voltei”, disse Otero.


A maior reviravolta, porém, é a de Luan. Ídolo do Atlético, o ‘Menino Maluquinho’ foi muito vaiado pela torcida no Independência quando passava por momento ruim. Por questões técnicas, chegou a ser barrado da viagem à Argentina para o jogo de ida da semifinal da Copa Sul-Americana, contra o Colón-ARG.

Na parte final da passagem pelo Atlético, Rodrigo Santana voltou a escala Luan entre os titulares. E o meia-atacante correspondeu, voltou a jogar bem e se garantiu entre os 11 iniciais. Sob o comando de Vagner Mancini, é destaque. São dois gols nas duas partidas disputadas.

Atenção especial de Mancini

Desde que chegou, Vagner Mancini deixou claro que tentaria recuperar jogadores que estão em baixa no Atlético. Os dois primeiros exemplos são o volante Zé Welison - bastante criticado pela torcida em função de más atuações recentes - e o atacante Maicon Bolt, que ainda não conseguiu repetir o bom futebol do início da carreira no Fluminense. Os dois entraram entraram durante a partida contra o Santos.

“Fiz a entrada do Zé Welison e do Bolt em campo, porque são atletas que eu precisava deles neste momento e também mostrar a todo mundo que são atletas que, se não vinham bem, assim como outros, não foram comigo. É importante você acreditar no jogador e passar para o grupo que confio em todos eles”, disse Mancini.

<i>(Foto: Bruno Cantini/Atlético)</i>

‘Medalhões’ em baixa


Há, ainda, outros jogadores importantes do elenco alvinegro que estão em baixa. Embora sejam titulares, o lateral-esquerdo Fábio Santos e o meio-campista Elias estão longe de serem unanimidade entre os torcedores do Atlético. O primeiro, inclusive, foi muito criticado por conta da falha em um dos gols do CSA no empate em Maceió.

Principal ‘garçom’ do time em 2019 ao lado de Luan, com oito assistências, Cazares é outro que tenta encontrar a regularidade. O meia equatoriano foi expulso na goleada por 4 a 1 sofrida para o Grêmio, no último jogo de Rodrigo Santana no Atlético. Após cumprir suspensão diante do CSA, foi reserva diante do Santos.

Outro que vive momento complicado é Ricardo Oliveira. Artilheiro do Atlético na temporada, com 14 gols, o experiente centroavante de 39 anos não marca desde 10 de agosto. O ‘Pastor’ é reserva do argentino Franco Di Santo e sofre com críticas frequentes da torcida alvinegra.

Tags: atleticomg interiormg futnacional seriea galo