Atlético

ATLÉTICO

Diferenças entre Alexandre Kalil e Ricardo Guimarães resultam em saída de médico do Atlético

Felipe Kalil pediu demissão nesta quarta-feira

postado em 04/03/2020 23:02 / atualizado em 04/03/2020 23:29

(Foto: Divulgação)
O médico Felipe Kalil pediu demissão do Atlético nesta quarta-feira. A informação, dada inicialmente pelo jornal O Tempo, foi confirmada pelo diretor de comunicação do clube, Domênico Bhering.

Felipe Kalil é filho do ex-presidente atleticano Alexandre Kalil, hoje prefeito de Belo Horizonte. A reportagem apurou que ele tomou a decisão de deixar o Atlético após tomar conhecimento que o banqueiro Ricardo Guimarães, do Banco BMG, um dos patrocinadores do clube, teria pedido a sua demissão ao presidente Sérgio Sette Câmara.

(Foto: Marcos Michelin/EM/D. A Press)


De acordo com o diretor de comunicação do Atlético, o presidente Sérgio Sette Câmara tentou convencer Felipe Kalil a seguir na equipe médica, mas não teve êxito. Ele era funcionário do clube desde outubro de 2016.

Ricardo Guimarães não foi encontrado pela reportagem para comentar a demissão do médico.

Em 2019, durante a realização da Copa América, Felipe Kalil integrou a equipe médica da Seleção Brasileira a convite de Rodrigo Lasmar, chefe do departamento na CBF e também no Atlético.

(Foto: CBF TV/reprodução)

Diferenças 

Ricardo Guimarães e Alexandre Kalil são adversários políticos no Atlético há vários anos. Recentemente, o banqueiro passou a ter bastante influência na gestão de Sérgio Sette Câmara.

Enquanto Kalil presidiu o Atlético entre 2008 e 2014, Ricardo Guimarães foi o mandatário entre 2001 e 2006.

O afastamento político entre os dois se deu em 2003. À época, Kalil era responsável pelo departamento de futebol do Atlético, justamente na gestão de Ricardo Guimarães.

(Foto: Jorge Gontijo/Estado de Minas - 19/04/2002)


O racha inicial foi em decorrência da aproximação de Ricardo Guimarães com a Confederação Brasileira de Futebol, então presidida por Ricardo Teixeira. Kalil, por sua vez, era radicalmente contra o estreitamento da relação com a entidade.

Por causa dessa divergência, Kalil deixou a gestão de Guimarães em 2003. Em 2004, ele assumiu a presidência do Conselho Deliberativo do Atlético. Quatro anos depois, tornou-se presidente executivo, função que exerceu até 2014.

No período como presidente, Kalil levou o Atlético aos títulos mineiros de 2010, 2012 e 2013; da Copa Libertadores de 2013; da Recopa e da Copa do Brasil de 2014.

Já no mandato de Guimarães, o Atlético foi campeão apenas da Série B de 2006. No ano anterior, o clube caiu de forma inédita à Segunda Divisão do futebol brasileiro.