Atlético

ATLÉTICO

Apresentado no Atlético, zagueiro Bueno fala sobre experiência no Japão, características e indicação de Sampaoli

Reforço do Galo concedeu entrevista na manhã desta segunda-feira

postado em 29/06/2020 11:20 / atualizado em 29/06/2020 12:13

(Foto: Reprodução/TV Galo)
O Atlético apresentou nesta segunda-feira o zagueiro Bueno, de 24 anos, um dos reforços contratados na 'era Jorge Sampaoli'. Em entrevista à TV Galo, o jogador emprestado pelo Kashima Antlers até 30 de junho de 2021 ressaltou a necessidade de adaptação ao futebol brasileiro, uma vez que construiu a carreira profissional no Japão.


“Minha carreira foi no futebol japonês, mas não venho ao Brasil para passear ou passar férias. Vou procurar me adaptar o mais rápido possível ao futebol brasileiro e ao clube que dá toda a estrutura ao jogador. Creio que o jogador precisa de um tempo de adaptação, não importa se veio do outro lado do mundo ou de uma cidade vizinha. Mas acho que com a estrutura que o clube oferece, não será problema para mim não”.

Depois de jogar nas categorias de base de clubes de São Paulo, como o Olé Brasil e o Botafogo de Ribeirão Preto, Wellington Daniel Bueno foi para o Japão ainda adolescente, aos 16 anos. No outro lado do mundo, dividiu a rotina entre os estudos e o futebol, até conseguir se profissionalizar. Grato ao país, ele destacou principalmente a cultura do povo japonês.


“Fui para o Japão muito cedo, aos 16 anos. É outra cultura, outro mundo, praticamente. No começo, ficamos com saudades do Brasil. Mas logo me acostumei ao Japão, que tem um povo solidário, que te recebe de braços abertos. Amo muito esse país. Considero que está no meu coração, de verdade”.

Bueno também ressaltou a disciplina do Japão no combate ao novo coronavírus. O país contabilizou pouco mais de 18 mil casos e 971 óbitos. No Brasil, 1,34 milhão de pessoas foram contaminadas e 57,6 mil morreram.

“Os japoneses são bem regrados. Sempre usam máscara, álcool em gel. A gente, que é estrangeiro, aprende isso. Como eles são bem regrados, fazem as coisas certas, a pandemia não está sendo tão devastadora lá”.

No Japão, Bueno vestiu as camisas de Shimizu S-Pulse, Vissel Kobe, Tokushima Vortis e Kashima Antlers. Por este último, disputou 40 partidas e marcou três gols. Ele ganhou a J-League e a Copa do Imperador, ambas em 2016.

Indicação de Sampaoli e características


Responsável por indicar Bueno à diretoria do Atlético, o técnico Jorge Sampaoli já observava o defensor desde quando comandava o Santos, em 2019. O responsável pela indicação foi ninguém menos que Zico, ídolo do Flamengo e diretor-técnico do Kashima Antlers.

“Para o jogador, é um sentimento muito bom ser indicado pelo treinador. Junto a isso, vem a responsabilidade. Mas creio que minha responsabilidade seja igual a todos os jogadores, vou ser cobrado da mesma maneira. Tenho que corresponder sempre dentro de campo”, frisa o zagueiro.


Com 1,82m de altura, Bueno falou também a respeito do estilo de jogo. “Minhas principais características são a força física, a velocidade, o passe longo, o cabeceio e a impulsão. São características de um zagueiro que, eu creio que trabalhando e aprendendo com o treinador e o grupo, tem tudo para dar certo aqui no Galo”.

Concorrência na defesa


A concorrência no setor defensivo do Atlético promete ser forte. Além de contratar Bueno, a diretoria está perto de anunciar o paraguaio Junior Alonso, que estava emprestado pelo Lille, da França, ao Boca Juniors da Argentina. O grupo já conta com Igor Rabello, Gabriel, Réver e Gustavo Henrique.


“São ótimos jogadores, renomados. São fora de série. Mas venho para somar e aprender com eles. Todo jogador que chega aqui quer mostrar serviço logo, entrar dentro de campo e representar da melhor maneira possível esse escudo”. 

A presença de seis zagueiros com características diferentes abre a possibilidade de Sampaoli utilizar esquema com três zagueiros, como fez na Seleção Chilena, na Copa do Mundo de 2014, e no Santos, em 2019 (clique aqui para ler).

Em meio à expectativa de colocar os reforços em ação, o Galo segue sem saber quando voltará aos gramados por causa da pandemia de COVID-19. Nesta segunda, o Centro de Operações de Emergência em Saúde de Minas Gerais (COES-MG) vetou a proposta apresentada pela Federação Mineira de Futebol (FMF) para o retorno da competição em 26 de julho. Assim, não há a confirmação se o Campeonato Brasileiro será de fato iniciado em 9 de agosto, conforme planejado pela CBF.