Atlético

JUSTIÇA

Everson x Santos: Justiça extingue processo de goleiro que esteve no radar do Atlético

Jogador tentava rescisão indireta do contrato de trabalho com o clube

postado em 25/08/2020 10:58 / atualizado em 25/08/2020 12:41

(Foto: Ivan Storti/Santos FC)
A Justiça proferiu nesta terça-feira a sentença sobre o pedido de rescisão do contrato do goleiro Everson com o Santos. Em razão da existência de uma cláusula compromissória no acordo entre as partes, o juiz Wildner Izzi Pancheri, da 5ª Vara do Trabalho de Santos, extinguiu o processo sem resolução de mérito. Assim, o jogador de 29 anos, que esteve no radar do Atlético a pedido do técnico Jorge Sampaoli, permanece no Peixe. Everson pode recorrer da decisão ou propor outra ação.

“Analisada a reclamação trabalhista proposta por Everson Felipe Marques Pires contra Santos Futebol Clube, EXTINGUE-SE O PROCESSO SEM RESOLUÇÃO DO MÉRITO, haja vista a existência de convenção de arbitragem (cláusula compromissória), nos termos do art.485, inc. VII, 1ª hipótese, do CPC”, diz trecho final do documento.

O magistrado aceitou o argumento da defesa do Santos de que a cláusula compromissória inserida no contrato de Éverson deve ser apreciada em “convenção de arbitragem”, e não na Justiça do Trabalho. O caso, portanto, poderia parar no Centro Brasileiro de Mediação e Arbitragem (CBMA).

Em razão da negativa da rescisão, Everson foi condenado a arcar com as custas do processo, no valor de R$ 24.404,24, e também com 5% de honorários sucumbenciais ao escritório que defende o Santos. Calculada sobre o montante atribuído à causa - R$ 7.307.895,78 -, a quantia destinada ao advogado do reclamado é de R$ 365.394,78.

Everson processou o Santos em 18 de julho por causa de atrasos em direitos de imagem e depósitos e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Ele também questionou a redução unilateral dos salários de abril, maio e junho. O goleiro atua no clube desde janeiro de 2019, quando foi contratado ao Ceará, por R$ 4 milhões.

O técnico Jorge Sampaoli, que comandou Everson no Santos em 2019, o admira pela habilidade para fazer passes e lançamentos, participando do jogo com os pés como uma espécie de líbero. Por isso, indicou a sua aquisição à diretoria do Atlético. Entretanto, a evolução apresentada por Rafael nos fundamentos agradou ao treinador argentino, que “esfriou” a solicitação por outro goleiro no Galo.

Tags: goleiro Atlético processo Justiça interiormg seriea santossp mercadobola Everson