Atlético

COPA LIBERTADORES

Diretor se irrita com possibilidade de punição ao Atlético na Libertadores

'Isso é tão absurdo, mas no futebol se espera tudo', enfatizou Rodrigo Caetano

postado em 21/07/2021 18:30 / atualizado em 21/07/2021 23:47

(Foto: Bruno Cantini/Atlético)


Em entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira (21), Rodrigo Caetano, diretor de futebol do Atlético, se irritou com a possibilidade de punição ao clube mineiro pelos fatos ocorridos no Mineirão, em Belo Horizonte, na noite desta terça-feira (20). Após a classificação do Galo em confronto diante do Boca Juniors, válido pelas oitavas de final da Libertadores, o time argentino promoveu uma grande confusão no tradicional palco do futebol mineiro.

Caetano classificou a cogitação de punição ao Galo como 'absurda'. Segundo o dirigente, esta possibilidade não passa pela cabeça dos membros do estafe atleticano. Ele justificou que o clube alvinegro não promoveu qualquer tipo de desordem durante o duelo.

"Isso é tão absurdo, mas no futebol se espera tudo. Não passa pela cabeça de ninguém. Depois de todo ocorrido, você não vê nenhum integrante do Galo adentrando em um espaço que não era seu. Não houve nenhum tipo de situação no campo de jogo. Se pegar as imagens no campo de jogo, você vai ver quem eram os personagens próximos do VAR. O Atlético, até porque precisava e queria vencer o jogo no tempo normal, buscou o tempo todo isso. Para nós não era interessante que o jogo se arrastasse, assim como para o Boca, aparentemente, serviu", afirmou.

Em seguida, Caetano mencionou a qualidade do trabalho do departamento jurídico do Atlético, mas disse acreditar na 'lisura' da Libertadores para evitar qualquer tipo de punição ao clube. Em sua avaliação, o Galo 'simplesmente cumpriu a lei'.

"Não passa pela cabeça de que eles vão chegar ao cúmulo do absurdo por qualquer punição ao Galo. Se isso acontecer, temos nosso departamento jurídico extremamente competente. Apesar de tudo isso que se fala, as instituições, CBF, Conmebol e Galo, têm boa relação, e a gente acredita na lisura da competição. A gente simplesmente cumpriu a lei, e a gente reconhece ela. Uma coisa é discutir lance interpretativo, de arbitragem. Quando entra para o VAR, uma ferramenta que veio para minimizar esses erros, vai se discutir o quê? A gente espera que não ocorra nada demais. Vamos conhecer o nosso adversário hoje. Mais para frente vamos nos preparar para o nosso adversário nas quartas de final da Libertadores", enfatizou.

Por fim, o diretor de futebol reforçou o apoio prestado pelo Atlético ao Boca Juniors no Brasil. Caetano afirmou esperar que os episódios vistos nesta terça-feira, no Mineirão, tenham sido 'isolados'.

"No que diz respeito ao Galo, prestamos todo apoio e até ajuda necessária ao Boca, para ter minimamente um amparo legal dentro de nosso país. Reitero também que temos que descolar todos os episódios do Mineirão, que é um palco seguro, de final de Libertadores, de jogos de Copa do Mundo, está totalmente apto a receber grandes jogos. Nós, do Galo, não admitimos qualquer ilação neste sentido, que permaneça ou tome tamanho neste momento. Sempre defendemos as regras do jogo e esperamos que os episódios ocorridos ontem à noite tenham sido isolados e que a Copa Libertadores siga com os mesmos princípios que foi até o jogo de ontem", afirmou.

O Atlético conheceu seu adversário nas quartas de final da Libertadores nesta quarta-feira (21). Será o River Plate, que eliminou o Argentinos Juniors. Os duelos estão previstos para as semanas dos dias 11 (fora) e 18 de agosto (em BH).

 

Tags: diretor possibilidade irrita atleticomg interiormg futnacional punicao rodrigo caetano seriea libertadores2021