Atlético

COPA DO BRASIL

Atlético volta a vencer Fortaleza e se garante na final da Copa do Brasil

Após golear por 4 a 0 no jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil, Galo contou com vários reservas para fazer 2 a 1 nesta quarta-feira, no Castelão

postado em 27/10/2021 23:25 / atualizado em 28/10/2021 01:30

(Foto: Pedro Souza/Atlético)

Não foi tão brilhante quanto há uma semana, mas foi mais do que suficiente. Com o time recheado de reservas e em grande vantagem após a goleada por 4 a 0 na partida de ida no Mineirão, o Atlético voltou a vencer o Fortaleza na semifinal da Copa do Brasil. Na noite desta quarta-feira, o time alvinegro contou com gols de Diego Costa e Hulk no segundo tempo para assegurar os 2 a 1, no Castelão, e garantir vaga na decisão contra o Athletico-PR. Romarinho, no último lance do jogo, descontou para os donos da casa, que contaram com uma bela festa de quase 10 mil torcedores.



Na outra semifinal, o Athletico-PR derrotou o Flamengo por 3 a 0 nesta quarta, em pleno Maracanã, e avançou após o empate por 2 a 2 no jogo de ida, na Arena da Baixada. As decisões estão marcadas para os dias 12 e 15 de dezembro. A ordem dos mandos de campo será definida em sorteio na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Rio de Janeiro.

Porém, antes de pensar no torneio mata-mata, o time do técnico Cuca tem uma "decisão" pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Líder, o Atlético visita o quarto colocado Flamengo em confronto direto na briga pelo título. A bola rola às 19h deste sábado, no Maracanã. Já o Fortaleza, que ocupa a terceira posição, visita o América, a partir das 21h, no Independência.

Ao feitio do Atlético



Em vantagem e com a partida importante contra o Flamengo no sábado, Cuca optou por preservar vários titulares do Atlético. Com isso, nomes como o zagueiro Igor Rabello, os meio-campistas Tchê Tchê e Alan Franco, além dos atacantes Eduardo Vargas e Diego Costa, ganharam oportunidades no time titular.

O ritmo foi menos intenso que de costume, mas a estratégia deu certo. O Atlético "espelhou" o esquema de três zagueiros do desfalcado Fortaleza, que não contou com cinco titulares. Teve menos a bola e quase não finalizou, mas levou pouquíssimos sustos com os avanços adversários.

Atrás do gol de Marcelo Boeck, os torcedores do Fortaleza apoiavam, mas mais agradeciam o time do que propriamente acreditavam na reviravolta. "Libertadores, sou eu quem vou", cantavam, embalados pela barulhenta bateria que pouco parou ao longo dos 49 minutos iniciais. A letra soa como provocação ao arquirrival Ceará e, claro, incentivo aos jogadores que vivem temporada histórica.

Em campo, o time do técnico Juan Pablo Vojvoda foi corajoso, apostou em avanços nas costas do lateral-direito Guga e chegou a criar algumas boas jogadas, mas não foi suficiente para tirar o zero do placar. Com o jogo sob controle, o experiente Atlético ganhava tempo, com cera, sempre que possível. Os avanços ofensivos foram raros - o primeiro chute saiu só aos 42 minutos, em uma bomba de falta cobrada por Guilherme Arana -, mas, com a larga vantagem, nem pareciam tão necessários assim.

Golaço e vitória alvinegra


O segundo tempo começou com uma chance clara do Atlético: Dodô lançou Vargas, que saiu frente a frente com o goleiro e bateu cruzado para grande defesa de Marcelo Boeck. Depois disso, o Fortaleza voltou a ter mais a bola e presença ofensiva, mas pecava nos passes decisivos.

E o contra-ataque alvinegro, que estava desenhado desde o primeiro tempo, apareceu aos 13 minutos da etapa final. Diego Costa recebeu lançamento de Vargas, deixou os defensores para trás, fintou Marcelo Boeck e só empurrou para as redes : 1 a 0 debaixo de chuva no Castelão. Nas arquibancadas, a torcida do Fortaleza respondeu cantando mais alto.

Alguns poucos torcedores do Atlético foram ao Castelão e chegaram a se fazer ouvir em um raro momento de silêncio dos tricolores, que chegaram a gritar "olé", de forma bem-humorada, quando o time já perdia por 1 a 0.

Em um novo contragolpe, Eduardo Sasha fintou na área e a bola bateu no braço de Titi, que tentava desarmar o atleticano num carrinho. Na cobrança do pênalti, Hulk deslocou Boeck, ampliou a vantagem e se isolou na artilharia da Copa do Brasil, com seis gols : 2 a 0 . No último lance do jogo, Romarinho descontou para o Fortaleza 2 a 1 - um prêmio para a torcida que tanto incentivou. No fim, outra vitória atleticana e sonho do bicampeonato mais vivo do que nunca.



FORTALEZA 1 X 2 ATLÉTICO


Fortaleza
Marcelo Boeck; Éderson, Titi, e Jussa; Edinho (Oswaldo, aos 11' do 2ºT), Ronald (Daniel Guedes, aos 31' do 2ºT), Felipe, Matheus Vargas (Romarinho, aos 11' do 2ºT) e Bruno Melo; David (Igor Torres, aos 18' do 2ºT) e Wellington Paulista (Ángelo Henríquez, aos 11' do 2ºT)
Técnico: Juan Pablo Vojvoda

Atlético
Everson; Guga, Igor Rabello, Réver, Junior Alonso e Guilherme Arana (Dodô, no intervalo); Jair (Nathan, aos 31' do 2ºT), Tchê Tchê e Alan Franco (Dylan, aos 20' do 2ºT); Eduardo Vargas (Hulk, aos 26' do 2ºT) e Diego Costa (Eduardo Sasha, aos 20' do 2ºT)
Técnico: Cuca

Motivo: jogo de volta da semifinal da Copa do Brasil
Data e horário: quarta-feira, 27 de outubro de 2021, às 21h30 (de Brasília)
Local: Castelão, em Fortaleza (CE)
Gols:  Romarinho, aos 44 do 2°T (FOR); Diego Costa, aos 13' do 2ºT, e Hulk, aos 38/2°T (ATL)
Cartões amarelos: Ronald, aos 35', Wellington Paulista, aos 41' do 1ºT, e Igor Torres, aos 23' do 2ºT (FOR); Réver, aos 18' do 1ºT (ATL)
Público: 9.518 torcedores
Renda: R$ 132.125,00

Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa/SP) e Daniel Paulo Ziolli (SP)
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (Fifa/SP)