Atlético
1

ATLÉTICO

'Vivi pra ver o título do Galo', diz torcedor que capotou carro na BR-381

Raimundo Gonçalves e a esposa Maria da Penha saíram ilesos de capotamento na Serra de Igarapé na última quarta-feira (1/12)

postado em 04/12/2021 12:47 / atualizado em 04/12/2021 13:12

(Foto: Arquivo pessoal)

O atleticano Raimundo Gonçalves, de 68 anos, por pouco não viveu o sonho de ver o Galo campeão brasileiro na última quinta-feira (2/12), com a vitória por 3 a 2 sobre o Bahia, em Salvador. Na véspera da partida, ele sofreu um acidente grave na BR-381, em Igarapé, ao capotar o carro enquanto ia com a esposa Maria da Penha de Queirós para Aparecida do Norte-SP.

Devotos de Nossa Senhora Aparecida, Raimundo e Maria da Penha vão anualmente à Basílica de Aparecida. Dessa vez, a viagem foi interrompida na Serra da Igarapé, a 60km de BH. O Hyundai HB20 em que estavam derrapou na pista durante a chuva, bateu na mureta de proteção e capotou. O veículo teve perda total. Ambos foram atendidos pela equipe de emergência da concessionária da rodovia e não precisaram ser encaminhados ao hospital.

(Foto: Arquivo pessoal)

Pelo susto que passou na quarta-feira (1/12), Raimundo conta que comemorou duplamente na quinta o bicampeonato brasileiro do Atlético, após 50 anos de espera.

"Agradeço a Deus por ter nos protegido da morte para que eu tenha vivido a alegria de ser campeão brasileiro de novo", agradece Raimundo, conhecido como Mundinho. 

"Quem morre na véspera é peru, e eu sou é Galo!", brincou o torcedor, que, na hora do acidente, estava vestido com a camisa do Atlético.

No primeiro título brasileiro do Galo, em 1971, Raimundo tinha apenas 18 anos e assistiu a muitos jogos do time na antiga geral do Mineirão. O setor popular foi extinto com a reforma de modernização do estádio, entre 2010 e 2012.

Mundinho ainda esteve presente na decisão do Brasileiro de 1977, no Mineirão, entre Atlético e São Paulo, perdida nos pênaltis por 3 a 2 após 0 a 0 no tempo regulamentar. Devido ao calendário da época, a partida foi realizada em 5 de março de 1978.

Apesar da frustração naquela ocasião, Raimundo conta que a lembrança mais amarga como atleticano foi a perda do Brasileiro de 1980 para o Flamengo, no Maracanã, com o revés por 3 a 2. Embora o Galo tenha vencido o duelo de ida no Mineirão, por 1 a 0, o regulamento deu o título aos cariocas pela melhor campanha na fase semifinal.

Na finalíssima, Reinaldo, Chicão e Palhinha, do Atlético, foram expulsos. Por entender que o Galo foi prejudicado naquela partida, Raimundo só voltou a frequentar o Mineirão em 2014, na Copa do Mundo. Foram 34 anos de ausência.

(Foto: Arquivo pessoal)


Neste domingo (5/12), na partida contra o RB Bragantino, Raimundo voltará ao Gigante da Pampulha para acompanhar o jogo em que o Atlético receberá a taça e as faixas de campeão brasileiro de 2021.

(Foto: Arquivo pessoal)

Tags: galo atlético mineirão campeão atleticano interiormg seriea galobi raimundo patrício