Athletico Paranaense

CRUZEIRO

'Mais potencial do que o Cacá', diz Adilson Batista sobre zagueiro Edu, vendido pelo Cruzeiro ao Athletico-PR

Jogador foi negociado ao Furacão após Cacá recusar proposta salarial dos paranaenses

postado em 14/06/2020 06:00 / atualizado em 14/06/2020 14:44

(Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)

O Cruzeiro acertou, no dia 5 de junho, a venda do zagueiro Edu ao Athletico-PR por R$ 2,5 milhões com o objetivo de pagar parte dos salários atrasados. Para o ex-técnico da Raposa, Adilson Batista, o defensor de 19 anos tem mais potencial do que o atual titular da posição, Cacá, de 21.

Antes de comprar Edu, o Furacão esteve muito próximo de contratar Cacá, que supriria saída do jovem Robson Bambu, de 22 anos, vendido ao Nice-FRA por R$ 47 milhões. Em entrevista ao canal do jornalista Jorge Nicola no YouTube, Adilson elogiou Edu e revelou sua preferência entre os dois zagueiros formados na base cruzeirense. 

“Seguro, firme, bom no um contra um. Tem um arremesso lateral fantástico, muita força. É menino, vai errar, precisa ter paciência, como aconteceu com o (Robson) Bambu. O Edu foi da Seleção. Eu vejo o Edu com mais potencial do que o Cacá, por exemplo”, opinou.

As tratativas entre mineiros e paranaenses começaram no início do ano, com uma proposta de 2 milhões de euros do Furacão por Cacá. De acordo com Carlos Ferreira Rocha, então interlocutor do Núcleo Dirigente Transitório com o departamento de futebol do Cruzeiro, também houve uma investida do CSKA Moscou, da Rússia, que ofereceu 4 milhões de euros (cerca de R$ 23 milhões na cotação da época). Entretanto, por conta da pandemia do coronavírus, o negócio não foi concluído.

No início de junho, o Athletico-PR voltou à carga pelo zagueiro, sinalizando pagar R$ 9 milhões. Conforme apurou o Superesportes, o Cruzeiro chegou a aceitar as condições, mas o negócio não foi concretizado porque Cacá não se acertou com o rubro-negro paranaense.

Sem o avanço nas negociações, o Athletico-PR optou por investir em Edu. O Cruzeiro aceitou a proposta de 500 mil dólares (cerca de R$ 2,5 milhões) e vendeu 70% dos direitos econômicos do jogador, mantendo ainda 15% de participação em uma venda futura - os outros 15% ficaram o defensor.

Em 2020, sob o comando de Adilson Batista, Edu fez três partidas com a camisa do Cruzeiro - duas pelo Campeonato Mineiro e uma na Copa do Brasil. Sua versatilidade chamou a atenção do treinador, que chegou a escalá-lo como volante. Ele marcou um gol no empate por 2 a 2 com o São Raimundo-RR, pela primeira fase do torneio nacional.

Olho na base

Além de Edu e Cacá, outros jogadores da base do Cruzeiro chamam a atenção do mercado da bola. É o caso do meia Maurício, de 18 anos, que quase foi vendido pelo clube, mas permaneceu por conta da pandemia do coronavírus. Com isso, a Raposa deixou de arrecadar R$ 20 milhões.

Para Adíison, há mais atletas que podem ganhar chances com Enderson Moreira e ajudar o clube celeste a se reconstruir. “Gostava do Jadsom, do Pedro Bicalho, acho que o Alexandre também vai virar jogador, o Maurício sabe jogar. O Cruzeiro tem o Cacá, o Arthur, meninos muito legais de trabalhar”, concluiu.

Adilson treinou o Cruzeiro até 15 de março, quando o time foi derrotado pelo Coimbra, por 1 a 0, no Independência, pela nona rodada do Campeonato Mineiro. O técnico saiu do cargo tanto pela ausência de bons resultados quanto pela dificuldade de evolução técnica do elenco. O aproveitamento em 12 jogos ficou na casa de 44,44% (quatro vitórias, quatro empates e quatro derrotas).

Tags: serieb cruzeiroec interiormg futnacional atleticopr seriea mercadobola