Athletico Paranaense

MERCADO DA BOLA

Presidente do Santos lamenta saída 'pelas costas' de Bambu e cobra multa do Athletico-PR

Antes de deixar o Peixe, zagueiro assinou pré-contrato com Furacão

postado em 23/09/2019 10:27 / atualizado em 23/09/2019 10:55

<i>(Foto: Reprodução Instagram @robsonbambu35)</i>
O presidente do Santos, José Carlos Peres, lamenta a saída “pela porta dos fundos” de Robson Bambu, hoje destaque no Athletico-PR, campeão da Copa do Brasil.

Bambu passou a ser titular do Peixe em 2018 com o ex-técnico Cuca, mas tinha pré-contrato assinado com o Furacão, sem ter comunicado o Alvinegro. O vínculo terminou em novembro e ele ficou livre para ser apresentado em Curitiba.

“Bambu levamos quase um ano tentando renovar. Jogava para frente, mas pelas costas assinou pré-contrato com o Athletico-PR. Depois não teve como sair. Preferiu sair pelas portas dos fundos. Temos direito do segundo contrato, caso está na CBF, estamos esperando a decisão e Athletico pode ter que pagar até R$ 40 milhões. Athletico procurou antes dos seis meses (prazo permitido para a assinatura do pré-contrato), coletamos nossas propostas. Empresário é carioca e trabalhou nas costas do Santos. Quando jogador faz algo assim, não há como segurar. Tentamos de todas as formas na base da conversa mostrar o nosso direito na Lei Pelé”, disse Peres, à Rádio Bandeirantes.

O Santos entrou com uma representação na Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD), da CBF, em novembro de 2018, para fazer valer o direito como formador. Autor do processo, o ex-gerente jurídico Rodrigo Gama Monteiro hoje integra o departamento de futebol do Athletico.

A conta inclui o valor do salário oferecido (R$ 70 mil) vezes 200 – R$ 14 milhões -, mais juros e multa pelo suposto assédio ao Menino da Vila.

“O Santos buscará na CNRD a indenização tocante à violação ao exercício do seu direito de preferência na renovação do primeiro contrato especial de trabalho desportivo do atleta, nos termos da Lei Pelé. Pediremos, em uma ação principal, o equivalente a 200 vezes o valor salarial mensal constante da proposta apresentada pelo Santos. Ainda teremos que saber o valor que o Atlético-PR pagará mensalmente para saber se é maior ou não. A indenização se pautará no maior valor, que será verificado oportunamente”, disse Rodrigo Gama, à Gazeta Esportiva, em 23 de novembro de 2018.
 

Tags: seriea mercadobola futnacional santossp atleticopr