Cruzeiro

CRUZEIRO

Após eliminação do Cruzeiro, presidente dispara contra CRB e arbitragem: 'Absurdo'

Sérgio Rodrigues disse que clube encontrou vestiário sem luz, viu campo ser molhado e torcedores na arquibancada do Rei Pelé, em Maceió, Alagoas

postado em 26/08/2020 18:44 / atualizado em 26/08/2020 21:01

(Foto: Reprodução/Youtube/Cruzeiro)
Sérgio Santos Rodrigues mostrou revolta após a eliminação do Cruzeiro na Copa do Brasil. Em pronunciamento feito por meio dos canais oficiais do clube, depois do empate por 1 a 1 com o CRB, nesta quarta-feira, o presidente afirmou que a delegação celeste precisou enfrentar vestiário sem luz no Estádio Rei Pelé, além de um campo molhado apenas no lado de defesa da Raposa no segundo tempo. 


“Quero registrar os protestos por tudo que aconteceu aqui hoje (...) Nosso diretor de esportes André Argolo, no meio do jogo, já foi protestar na CBF. O que a gente viu aqui hoje foi, desde o começo, o anti-jogo. Um pênalti claríssimo não marcado, que a gente viu na transmissão da TV. No intervalo, o time adversário veio bater bola do nosso lado para molhar tão somente o nosso campo de defesa, o ataque deles. Fatalmente, o gol deles foi no escorregão do Leo. Isso foi reclamado durante o jogo. Foi levado ao representante da CBF. Isso é anti-jogo”, disse Sérgio Rodrigues



Foi relatado ainda que quando nosso time chegou ao vestiário, o vestiário estava apagado. Os jogadores precisaram utilizar lanterna do celular. Isso é a coisa mais baixa que pode existir. Isso me lembra quando se fala dos jogos de Libertadores, que cortam água quente do estádio, que pintam vestiário para jogador respirar tinta tóxica. Não tem luz no vestiário é absurdo no futebol brasileiro em pleno 2020”, complementou.

Além das reclamações feitas por André Argolo durante a partida, Sérgio afirmou que enviou mensagens com os relatos ao presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, ao secretário-geral da CBF, Walter Feldman, e ao vice-presidente da entidade, o mineiro Castellar Guimarães Neto.

“Eu mandei mensagem de protesto ao presidente da CBF, ao secretário Walter Feldman, que eu visitei essa semana. Ao vice-presidente Castellar, ao vice-presidente jurídico Carlos Eugênio. Estamos relatando tudo, vamos mandar para a CBF, vamos mandar para o STJD. É um absurdo a forma como fomos tratados aqui hoje”, disparou o mandatário do Cruzeiro.

Sérgio ainda fez uma grave denúncia. O presidente do Cruzeiro afirmou que já enviou fotos à CBF em que supostos torcedores do CRB aparecem nas arquibancadas do Rei Pelé, em Maceió. O protocolo de saúde, em função da COVID-19, só autoriza presença de membros das delegações dos clubes.

“Tiramos fotos e mandamos. Só existem 42 pessoas que podem ser cadastradas por delegação. A gente vem basicamente com três ou quatro membros da diretoria, fora o futebol, porque a comissão é grande. Mandamos uma foto que a gente viu do outro lado 20 pessoas situadas na arquibancada, torcendo. Agindo, realmente, como torcedores. E não como diretoria. O tempo inteiro fazendo pressão, hostilizando um diretor nosso, jogadores nossos. Desrespeitando isso”, relatou.

“Ao fim, quando acaba o jogo, nossa diretoria também querendo passar para o vestiário, fomos trancados, com correntes. Uma tranca, com corrente, uma porta. Não nos deixaram voltar para o vestiário. Isso também foi registrado pela nossa equipe. Vamos mandar isso. Quem me conhece, sabe do meu perfil. Não sou de reclamar. Quando a gente perde na bola, a gente faz questão de reconhecer, como fizemos com a Chapecoense. Mas é um absurdo o que aconteceu conosco hoje aqui. Sabe o dia que o futebol brasileiro vai mudar dessa forma aqui? Nunca”, concluiu.

O Cruzeiro foi eliminado pelo CRB com o empate nesta quarta-feira por ter sido derrotado na partida de ida, no Mineirão. Em 11 de março, quando ainda era administrado por um Conselho Gestor e tinha Adilson Batista como técnico, o clube celeste foi superado por 2 a 0 pelos alagoanos. 


Tags: Cruzeiro serieb interiormg futnacional