Futebol Nacional

CASO BRUNO

Goleiro Bruno no Fla: grandes atuações, mais confusões e pré-contrato com o Milan

No Rubro-Negro, Bruno assumiu a vaga de Diego, contundido, e não saiu mais

postado em 24/02/2017 15:09 / atualizado em 24/02/2017 15:57

Marcia Feitosa/VIPCOMM
Em 2006, o goleiro Bruno, chegou ao Flamengo. No Rubro-Negro, o jogador assumuiu a vaga de Diego, que estava contundido. Com boas atuações, se tornou titular até o final do ano. Em 2007, se torna ídolo da torcida do Flamengo quando, na decisão do Carioca, defendeu duas penalidades (na disputa por pênaltis), dando o título ao clube em cima do Botafogo.

Seguiu valorizado no Flamengo, e no Carioca de 2009, Bruno defendeu um pênalti no tempo normal e dois na disputa final, conquistando o tri-campeonato pelo clube, novamente contra o Botafogo.

Mas as confusões que cercaram a trajetória do goleiro no Atlético não pararam quando ele foi para o Flamengo. Em julho de 2008, depois do empate entre o clube carioca e o Atlético, em Belo Horizonte, Bruno promoveu uma festa em seu sítio, em Ribeirão das Neves, que também terminou na delegacia. Além do goleiro, outros três jogadores do Rubro-Negro se envolveram em uma confusão com garotas de programa, Marcinho, Diego Tardelli e Paulo Victor, então o quarto goleiro. Os atletas organizaram uma festa e contrataram oito prostitutas. O atacante Marcinho teria agredido uma das garotas.

Duas prostitutas prestaram queixa contra o jogador e fizeram exame no Instituto Médico Legal. Na confusão, Marcinho teria agredindo uma das mulheres, e Bruno teria tentado impedir, sendo empurrado. Paulo Victor teria tentando defender Bruno e teria levado um soco de Marcinho no rosto. O Flamengo multou os três em 20% dos salários.



No mesmo ano, o goleiro Bruno já havia sido acusado de tentativa de agressão por um estudante, e acabou aceitando o pagamento de dois salários mínimos em cestas básicas para uma instituição da Freguesia, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. A confusão ocorreu em junho, em uma lanchonete no local. O jogador teria agredido o estudante Carlos Eduardo Rodrigues.

Em 6 de março de 2010, depois da goleada por 4 a 0 do Flamengo sobre o Resende, em uma entrevista, Bruno comentou a confusão protagonizada por Adriano e sua ex-Joana Machado, e disparou: “Muitos que são casados sabem que, às vezes, em um relacionamento, é preciso uma discussão, ou até mesmo algo mais sério. Quem nunca brigou ou até saiu na mão com a mulher? Em briga de marido e mulher ninguém mete a colher, xará. Quando a adrenalina está alta não tem lugar”, disse.

Em 2010, os jornais italianos já noticiavam o interesse do Milan na contratação do goleiro flamenguista. Com a saída de Dida, e a provável permanência de Storari no Sampdoria - o goleiro estava emprestado ao clube de Gênova – a diretoria do clube italiano estaria de olho em Bruno. Posteriormente, o goleiro revelou que tinha um pré-contrato assinado com os italianos. Lá, receberia R$500 mil mensais.

Depois de preso, em julho de 2010, ele manteve contrato com o Rubro-Negro até o final de 2012. Os sete títulos conquistados pelo goleiro foram com a camisa do Flamengo: Campeonato Brasileiro de 2009 e os Campeonatos Cariocas de 2007, 2008 e 2009.

Tags: bruno seriea nacional casobruno flamengorj atleticomg