América

AMÉRICA

América 1 x 2 Cruzeiro: árbitro detalha expulsão de Lisca e agressões verbais após clássico

Segundo árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva, técnico do América disse: 'Pode comemorar o gol junto com o time deles'

postado em 03/12/2020 01:51

(Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

O árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva explicou na súmula o motivo da expulsão do técnico Lisca, do América, na derrota do Coelho para o Cruzeiro, por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, no Independência. O dono do apito foi muito criticado por treinador e dirigentes americanos por causa de dois lances: a não marcação de um pênalti para o time alviverde, em toque de mão de Adriano, e a penalidade assinalada a favor da equipe celeste, após contato de William Pottker e Messias dentro da área.


O lance da penalidade celeste resultou no primeiro gol da partida, marcado por Rafael Sobis. Após o lance, Lisca reclamou duramente com o árbitro até ser advertido. O treinador do América não cessou as críticas e foi expulso após ironizar Dewson.

“Após receber a advertência, o treinador foi expulso por gesticular com os braços e me ofender com os seguintes dizeres, ‘pode comemorar o gol junto com o time deles, estão mal intencionados, tu não tem vergonha não’. Na sequência, o mesmo aplaudiu a equipe de arbitragem de forma irônica gritando ‘parabéns’”, relatou o árbitro da partida.


Dewson também deixou clara na súmula a desobediência de Lisca, que foi para a arquibancada do Independência após a expulsão - ele não poderia ficar tão perto do gramado. O treinador recebeu solicitação para deixar o local, mas ignorou os pedidos.

“Informo que o treinador, depois de ser expulso ficou sentado na arquibancada localizada na parte de trás do banco de reservas da equipe do América Futebol Clube. Ao solicitar a sua saída, o mesmo falou que não sairia do local que estava e quem iria o tirar de lá. Afirmo que o treinador não se manifestou durante todo o primeiro tempo e no segundo tempo do jogo, o mesmo ficou sentado no local reservado para a diretoria do América Futebol Clube, na parte superior da arquibancada”, completou.

Com a expulsão, Lisca não comandará o América na partida de sábado, às 18h30, em Maceió, contra o CSA, pela 26ª rodada da Série B. O treinador ainda segue 'pendurado' com dois cartões amarelos.

(Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

Ameaça de dirigente na súmula


Após o jogo, o integrante do Conselho de Administração do América, Anderson Racilan Souto, disparou palavrões contra o árbitro paraense e disse que Dewson “merecia tomar uns tapas”. O dono do apito relatou as ameaças na súmula.

“Informo que, após o término do jogo, quando a equipe de arbitragem estava se dirigindo ao vestiário da arbitragem, o conselheiro da equipe do América FC, sr. Anderson Racilan, partiu em nossa direção, apontando com o dedo, e me ofendeu proferindo de maneira ofensiva as seguintes palavras: "Tú és safado, ladrão, bandido, merece pegar uns tapas, juíz de várzea, juíz de várzea, juíz de várzea". Convém informar também, que o referido conselheiro foi contido pela equipe de segurança”.

Marco Antônio Batista, outro membro do Conselho de Administração do América, também foi citado na súmula. Ele apareceu para ofender Dewson pouco depois de Racilan.

“No ato contínuo, relato que o sr. Marco Antônio Batista, também conselheiro da equipe do América FC, me ofendeu gritando as seguintes palavras: ‘Veio para fazer o resultado e livrar o Cruzeiro, seus bando de ladrões, safados’".


Tags: américa coelho serieb cruzeiroec interiormg