Atlético

ATLÉTICO

Atlético leva susto, mas vira sobre o Zamora e segue vivo na briga por classificação na Libertadores

Time alvinegro cresceu de rendimento no segundo tempo e garantiu vitória no sufoco no Mineirão

postado em 03/04/2019 21:06 / atualizado em 03/04/2019 23:26

<i>(Foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)</i>
Foi sofrido, na base de muita raça e superação, que o Atlético conquistou a primeira vitória no Grupo E da Copa Libertadores. Diante de um valente Zamora, que dominou o primeiro tempo do jogo desta quarta-feira no Mineirão, o Galo buscou forças para deixar para trás o início ruim e vencer de virada por 3 a 2. Na etapa inicial, Gallardo e Paiva marcaram pelos venezuelanos. No segundo tempo, Maicon Bolt, Vinicius e Fábio Santos, de pênalti, decretaram o triunfo para delírio dos mais de 40 mil torcedores no Gigante da Pampulha.



A exibição alvinegra, principalmente no primeiro tempo, não foi nada animadora. O time teve muitas dificuldades contra os venezuelanos, abusou dos cruzamentos, sofreu com os contra-ataques pelos lados do campo e acabou levando dois gols. O Atlético foi para o vestiário sob vaias do torcedor. Na etapa final, o Galo foi para cima e buscou a virada na base da garra.

Com o resultado, o time segue vivo na briga por vaga nas oitavas de final da Copa Libertadores. O Atlético chegou aos 3 pontos e ocupa a terceira posição, enquanto os venezuelanos ainda não pontuaram e amargam a lanterna. O líder é o Cerro Porteño-PAR, que tem 9, seguido pelo Nacional-URU, com 6.

O jogo


Levir Culpi apostou no retorno de Elias ao time do Atlético na vaga de Jair. O volante, que ficou no banco nas últimas partidas, voltou a ser escalado no meio-campo, sua posição de origem. Ele formou dupla de volantes com Zé Welison. O técnico alvinegro também apostou na manutenção de Maicon Bolt pelo lado esquerdo do ataque.

E o camisa 11, logo aos 2’, teve a primeira chance do jogo, mas cabeceou fraco, nas mãos do goleiro. O Atlético marcou pressão nos primeiros minutos e não deu espaço para o Zamora. O time alvinegro teve chance clara de marcar com Luan, que aproveitou erro da defesa venezuelana e, livre, cabeceou na trave.

Mas, no lance seguinte, a proposta de jogo do Zamora funcionou, e as redes balançaram no Gigante da Pampulha. Em contra-ataque rápido pela esquerda, Maza passou fácil por Guga e cruzou na cabeça de Gallardo, que subiu entre os defensores atleticanos e cabeceou sem chances para Victor: 1 a 0.

Após o gol, o time alvinegro ficou nervoso. E isso refletiu nas arquibancadas do Mineirão. O torcedor, que num primeiro momento apoiou a equipe, passou a pedir raça e a vaiar alguns atletas. Os principais alvos foram Elias e Fábio Santos. O lateral-esquerdo ainda esteve envolvido em lance que quase saiu o segundo gol dos venezuelanos. O camisa 6 foi driblado facilmente por Gallardo, que finalizou muito perto do gol de Victor.

O Atlético tentou, na base da pressão com cruzamentos, sem efetividade. Quando tocou a bola, o empate quase saiu. Após triangulação, Ricardo Oliveira, na frente do goleiro, chutou por cima.

O alvinegro buscava o gol e dava espaços para o contra-ataque. E assim surgiu mais um gol do Zamora. A defesa do Galo fez linha de impedimento em passe para Oscar Hernández, que avançou livre e, na saída de Victor, rolou para Paiva empurrar para as redes: 2 a 0.

O Galo voltou para o segundo tempo com a mesma formação. E, logo no começo da etapa final, quase levou o terceiro em contra-ataque. Réver foi mal no lance, Paiva saiu cara a cara com Victor, driblou o goleiro e chutou na rede pelo lado de fora.  


O Atlético precisava de um lance para acordar o torcedor. E ele aconteceu aos 5’. Guga lançou Luan, que evitou a saída da bola na linha de fundo com cruzamento na cabeça de Maicon Bolt. O atacante ganhou do defensor no alto e mandou para o fundo das redes: 2 a 1.

A torcida passou a jogar junto com o time. Luan, em chute nas mãos do goleiro, e Zé Welison, com pancada no travessão, quase empataram. Levir resolveu colocar o time para cima. O treinador tirou os dois volantes - Zé Welison e Elias -, para colocar os meias Nathan, que vem jogando mais recuado, e Vinicius.

As mudanças surtiram efeito rápido. Ricardo Oliveira ganhou na base da raça dentro da área e finalizou. O camisa 9 chutou, a bola bateu em Vinicius e morreu nas redes: 2 a 2. Logo depois do gol, Hernández fez falta dura, levou o segundo amarelo e foi expulso.

O Galo seguiu em pressão. E teve resultado. Ricardo Oliveira tentou passe para o meio da área, De La Hoz cortou com a mão e o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, Fábio Santos se redimiu do primeiro tempo ruim, deslocou o goleiro e colocou o Galo em vantagem no placar: 3 a 2.

Atônito, o Zamora tentou buscar forças para atacar. O Galo, com o domínio da posse de bola, pouco sofreu. E ainda quase marcou com Ricardo Oliveira, que parou no goleiro venezuelano. Fim de jogo e festa no Mineirão.

Veja os gols do jogo:







ATLÉTICO 3 X 2 ZAMORA

Atlético
Victor; Guga, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison (Nathan, aos 22/2°T) e Elias (Vinicius, aos 22/2°T); Luan (Jair, aos 37/2ºT), Cazares e Maicon Bolt; Ricardo Oliveira
Técnico: Levir Culpi

Zamora
Graterol; Castro, Ignácio González, De La Hoz e Maiker González; Hernández, Rojas (Soto, aos 24/2°T) e Ramírez (Mena, aos 37/2ºT); Gallardo, Maza e Guillermo Paiva
Técnico: José Ali Cañas

Gols: Gallardo, aos 16/1°T; Paiva, aos 43/1°T; Maicon Bolt, aos 5/2°T; Vinicius, aos 26/2°T, Fábio Santos, aos 40/2ºT 
Cartões amarelos: Luan, aos 42/1°T; Hernández, aos 7/2°T e aos 29/2ºT; Réver, aos 10/2°T; Soto, aos 38/2ºT
Cartão vermelho: Hernández, aos 29/2ºT

Motivo: terceira rodada do Grupo E da Copa Libertadores
Data e horário: quarta-feira, 3 de abril de 2019, às 19h15
Local: Mineirão, em Belo Horizonte

Público: 40.857 torcedores
Renda: R$ 1.053.290,00

Árbitro: Gery Vargas (BOL)
Assistentes: José Antelo (BOL) e Edwar Saavedra (BOL)

Tags: futinternacional libertadores2019 galo seriea futnacional interiormg atleticomg