Atlético

ATLÉTICO

Líder da oposição do Atlético pede saída do presidente Sette Câmara: 'Não dá mais'

Fabiano Ferreira escreveu carta aberta sugerindo a renúncia do dirigente

postado em 25/04/2019 10:00 / atualizado em 25/04/2019 15:02

<i>(Foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)</i>

Líder da oposição do Atlético, o empresário Fabiano Lopes Ferreira escreveu uma carta aberta, na qual pede a saída do presidente do clube, Sérgio Sette Câmara.

Fabiano reclama da gestão de Sette Câmara na condução do futebol e na área administrativa. Ele lembra os fracassos do Galo nos últimos torneios e desconfia da gestão financeira.

"Senhor presidente, com todo o respeito que tenho pelo senhor, como colega advogado e presidente do clube do meu coração, vou ousar a lhe dizer que não dá mais! Presidente, o senhor está no comando do clube desde dezembro de 2017, e até agora o senhor não conquistou nada! Não fez nada! E nós atleticanos apaixonados que somos, não aguentamos mais!", diz a carta.

Segundo o opositor, Sette Câmara contratou muito mal e demorou a demitir o técnico Levir Culpi. Ele também comenta a política de austeridade fiscal do atual presidente.

"Ao assumir a presidência do clube, o senhor anunciou que a sua prioridade era equacionar as dívidas do Atlético. Logo já achei estranho porque, até quando eu estive na presidência do Conselho Fiscal, as grandes dívidas do clube eram com o ex-presidente Ricardo Guimarães e com o Fisco e ambas já estavam equacionadas", relata.

O assunto estádio do Atlético também foi abordado: "O senhor precisa olhar com muita atenção esta questão da permuta dos 50,1% do Shopping Diamond para a construção do Estádio do Galo. Todos nós atleticanos queremos um estádio para o Atlético, mas, esta negociação que foi feita, não entendemos bem. Veja: O Atlético cedeu para a Multiplan 50,1% do Shopping, por R$ 250.000.000,00. Contudo, foi concedido uma prorrogação de mais 4 anos no arrendamento do Shopping à Multiplan".

"Acontece que, pelo balanço de 2016, o qual tenho em meu poder, a Multiplan está repassando ao Atlético 15% do faturamento do Shopping o que, em 2016, em números redondos, o valor importou em R$62.000.000,00. Assim sendo, nos quatro anos da prorrogação, os 15% somariam R$248.000.000,00. Ou seja, a grosso modo, podemos entender que o Atlético cedeu 50,1% do Shopping por apenas R$2.000.000,00! Seria isso?", questiona.

Fabiano perdeu a eleição para a presidência do Atlético para Sette Câmara em dezembro de 2017. O opositor recebeu 41 votos, contra 266 de Câmara.

Confira a carta aberta de Fabiano Lopes Ferreira

Ilustre Presidente do Clube Atlético Mineiro, Senhor Sérgio Sette Câmara,

Eu poderia ter escrito este democrático manifesto ontem após o jogo do nosso glorioso clube contra o Nacional do Uruguai, mas para não dizer que eu escrevi tomado por fortes emoções, em função de mais um vexame do nosso Galo, em pleno estádio do Mineirão, deixei para fazer agora às 13h13min, no horário do meu almoço, com a serenidade que me é peculiar.

Senhor Presidente, com todo o respeito que tenho pelo Senhor, como colega advogado e presidente do clube do meu coração, vou ousar a lhe dizer que não dá mais! Presidente, o Senhor está no comando do clube desde dezembro de 2017, e até agora o Senhor não conquistou nada! Não fez nada! E nós atleticanos apaixonados que somos, não aguentamos mais!

Sob seu comando, o Atlético foi vexatoriamente eliminado nas oitavas de final da Copa do Brasil pela modesta Chapecoense. No início do campeonato brasileiro de 2018, antes da parada para a Copa do Mundo, o time estava até indo bem com Roger Guedes brilhando no ataque. Porém, no meio do campeonato, o Senhor não conseguiu manter Roger Guedes na equipe e o time despencou novamente, perdendo o brasileiro.

Esse ano, o Atlético perdeu o Campeonato Mineiro e foi pifiamente eliminado da Copa Libertadores, perdendo 3 das quatro partidas da primeira fase de grupos. Nesta Libertadores, o Atlético ganhou, com muita dificuldade, apenas uma partida contra o fraco Zamora da Venezuela, pelo mísero placar de 3x2 e mesmo assim com muitas dificuldades, repito.

Senhor Presidente, um clube da grandeza do Atlético, com a imensa torcida que tem, com o imenso patrimônio que possui (Shopping – Centro de Treinamento – Vila Olímpica – Labareda etc.), não pode dar tantos vexames como o Atlético está dando em sua gestão!

Senhor Presidente, em sua gestão, o Senhor contratou muito mal! Os jogadores que o Senhor contratou, nenhum deles encantou a torcida e ainda liberou Roger Guedes, que havia encaixado muito bem no time, e o lateral Marcos Rocha que era ídolo da torcida. O Senhor levou vários meses para efetivar o Técnico Thiago Larghi e depois, demorou demais a demitir o Levir Culpi. Agora, o mesmo está acontecendo com o Rodrigo Santana. O Senhor demonstra falta de confiança e insegurança na hora de tomar estas atitudes.

O Senhor precisa olhar com muita atenção esta questão da permuta dos 50,1% do Shopping Diamond para a construção do Estádio do Galo. Todos nós atleticanos queremos um estádio para o Atlético, mas, esta negociação que foi feita, não entendemos bem. Veja: O Atlético cedeu para a Multiplan 50,1% do Shopping, por R$ 250.000.000,00. Contudo, foi concedido uma prorrogação de mais 4 anos no arrendamento do Shopping à Multiplan.

Acontece que, pelo balanço de 2016, o qual tenho em meu poder, a Multiplan está repassando ao Atlético, 15% do faturamento do Shopping o que, em 2016, em números redondos, o valor importou em R$62.000.000,00. Assim sendo, nos quatro anos da prorrogados os 15% somaria R$248.000.000,00. Ou seja, a grosso modo, podemos entender que o Atlético cedeu 50,1% do Shopping por apenas R$2.000.000,00! Seria isso?

Outro grande erro seu Senhor Presidente, foi o erro de gestão. Ao assumir a presidência do clube, o Senhor anunciou que a sua prioridade era equacionar as dívidas do Atlético. Logo já achei estranho porque, até quando eu estive na presidência do Conselho Fiscal, as grandes dívidas do clube era com o ex-presidente Ricardo Guimarães e com o Fisco e ambas já estavam equacionadas. Foi feito acordado com o ex-presidente Ricardo Guimarães e a dívida tributária foi incluída no PROFUT.

Priorizar o pagamento de dívidas é correto em qualquer instituição. O que não pode é matar a principal fonte de renda da organização, no caso, a equipe de futebol. Se o time estiver bem, ganhando jogos e campeonatos, o clube fatura muito mais com as vendas de ingressos, tvs e outras publicidade.

O Senhor não fez nenhuma contratação de peso. O time que o Senhor montou é muito fraco, não ganha de ninguém. Desse modo, não se consegue nem pagar dívidas e muito menos ganhar títulos. ASSIM A TORCIDA NÃO AGUENTA MAIS!

Outra coisa que considero gravíssima é o Atlético, que está precisando de dinheiro, inclusive, segundo o próprio Levir Culpi declarou publicamente, atrasando os pagamentos aos jogadores, não aceitar o patrocínio oferecido pela Multimarcas Consórcios, deixando de faturar milhões de reais. Porquê? Por perseguição política, uma vez que seu proprietário e conselheiro do clube?

A Multimarcas Consórcios conta com 41 anos de operação no mercado brasileiro, sem nenhuma mancha. É a maior administradora de consórcios de Minas Gerais e a 17ª no ranking brasileiro, em faturamento, e patrocina diversos clubes brasileiros como: Cruzeiro, Flamengo, América Mineiro, Villa Nova, Boa Esporte e Fortaleza. Por que não aceitar o convite da Multimarcas? Isso é muito grave, porque o clube está deixando de faturar milhões de reais com o referido patrocínio!

Senhor presidente, em função de tudo isso, não seria melhor o Senhor repensar a presidência do Atlético? O Senhor é um jurista renomado, que goza de enorme conceito em Minas e no Brasil. O Senhor está sofrendo um desgaste pessoal muito grande! Senhor Presidente, na vida, há momentos que temos que recuar! Pense nisso!

Fabiano Lopes Ferreira
Conselheiro Benemérito do Clube Atlético Mineiro

Tags: Sette Câmara fabiano renúncia presidência atleticomg carta