Atlético

ATLÉTICO

Mancini avalia falta de gols dos atacantes do Atlético e espera fim do jejum

Centroavantes do Galo ainda não marcaram sob comando do treinador

postado em 15/11/2019 16:27

(Foto: EM/D.A Press)

O técnico Vagner Mancini se mostra incomodado com o jejum de gols dos centroavantes do Atlético. Desde que chegou para comandar o alvinegro, o treinador não viu os atacantes balançarem as redes. 

Mancini utilizou apenas Franco Di Santo e Ricardo Oliveira. O argentino entrou em campo em todos os jogos do treinador, enquanto o brasileiro foi acionado quatro vezes. O jovem Alerrandro, que também vive longo jejum, não participou de nenhuma das sete partidas do novo comandante (lesionado, também não deve entrar em campo nas próximas semanas).

Curiosamente, o último gol de centroavante no Atlético aconteceu na última partida com Rodrigo Santana no comando da equipe. Franco Di Santo, de pênalti, marcou o gol de honra do Galo na derrota por 4 a 1 para o Grêmio, no Independência. O argentino soma sete partidas de jejum.

Caso não balance as redes do Fluminense, Ricardo Oliveira vai completar um turno sem marca. O último gol dele foi, justamente, contra o tricolor, na vitória do Galo por 2 a 1, no Independência. Naquele duelo, o camisa 9 quebrou um jejum de 15 partidas, o maior de sua carreira. Agora, já são 12 jogos sem comemorar um gol.

O técnico Vagner Mancini espera que os centroavantes possam quebrar o jejum contra o Fluminense, neste sábado, às 19h, no Maracanã, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para o treinador, os jogadores podem retomar a confiança caso consigam balançar as redes.

“Isso é uma coisa que dificilmente acontece. Normalmente a gente vê os atacantes marcando gols uma vez ou outra. Mesmo que parem em alguns jogos, isso é retomado durante o campeonato. Aqui, temos uma sequência grande de jogos sem o ‘9’ fazer os gols. Espero que isso volte no sábado, porque é muito importante para eles. A partir do momento em que o seu centroavante não está fazendo gols, ele tem que se desdobrar de outras formas: marcando, correndo, abrindo espaços. Espero que rapidamente isso seja banido e que, o Di Santo e o Ricardo, joguem no jogo e façam gols, porque acaba devolvendo confiança ao setor”, disse o treinador.

Tags: galo atlético fluminense ricardo oliveira interiormg vagner mancini seriea franco di santo