Atlético

ATLÉTICO

Presidente do Atlético diz que não negociará Cazares na base da pressão e sem proposta à altura

Galo rejeitou oferta de 3 milhões de dólares (R$ 12,7 milhões na cotação atual) do Al-Ain pelo meia equatoriano

postado em 30/01/2020 22:01 / atualizado em 30/01/2020 22:28

(Foto: Humberto Martins / Superesporte)

O presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, disse que não vai negociar o meia Juan Cazares na base da pressão e sem uma proposta à altura.

A intenção da diretoria do Galo é receber 3 milhões de euros (pouco mais de R$ 14 milhões na cotação atual) para negociar 70% dos direitos econômicos do equatoriano nesta janela de transferências.

"A situação é a seguinte: não existe jogador inegociável, mas o Atlético também não negocia jogador na base da pressão. Se chegar ao valor que nós entendemos ser justo para qualquer jogador, não é somente em relação ao Cazares, o Atlético vai estudar e, se for coisa boa, nós vamos fazer. Até agora as propostas que chegaram nenhuma a gente entende que esteja no valor que compense fazer a negociação. Ele tem o contrato até o final de dezembro deste ano e vai cumprir caso não venha uma proposta à altura", disse Sette Câmara, nesta quinta-feira, durante evento da Rádio Itatiaia.

"Contratos foram feitos para ser cumpridos. A questão de vontade ela foi exercida lá atrás quando ele (Cazares) assinou o contrato. E ele teve a vontade de ficar aqui até o final daquele contrato. E, querer sair no meio dele, parece-me uma forma de quebrar o contrato e um compromisso assumido. Portanto, só mesmo se vier uma proposta boa para o Atlético. O Atlético em primeiro lugar porque estou aqui para defender o interesse do Atlético. A vontade dele, neste aspecto, vale muito pouco", acrescentou.

Segundo apurou a reportagem, o Atlético rejeitou a proposta de 3 milhões de dólares (R$ 12,7 milhões na cotação atual) do Al-Ain pelo meia Cazares (clique aqui e leia mais). As negociações, porém, continuam. O clube alvinegro aguarda nova oferta pelo equatoriano de 27 anos.

"Existem duas maneiras de você avaliar um jogador: através do que você pode arrecadar financeiramente e pelo recurso técnico. Cazares é um jogador refinado, que seria titular em 90% dos clubes sul-americanos. E, por isso, ele seria uma perda. E a reposição é cara, a gente vai procurar um jogador à altura. Então, se ele não sair, continua conosco. O retorno financeiro que podemos ter conquistando vitórias e títulos pode ser maior", destacou o presidente.

Tags: mercado negociação mercadobola cazares Sette Câmara