Atlético

ATLÉTICO

Presidente do Atlético revela fazer parte de grupo de risco do coronavírus e apoia campanha de conscientização no combate à pandemia

À Rádio Itatiaia, Sérgio Sette Câmara afirmou que sofre de imunidade baixa

postado em 17/03/2020 21:22 / atualizado em 18/03/2020 00:25

(Foto: Alexandre Guzanshe/EM D.A Press)
O presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, revelou em entrevista à Rádio Itatiaia que faz parte do grupo de risco de coronavírus, agente causador da doença respiratória covid-19. A razão, segundo ele, é a baixa imunidade hereditária, condição que lhe obriga a tomar medicamentos para estimular a defesa do organismo.

“Existe um grupo, que é chamado de grupo de risco. São as pessoas acima de 50 ou 60 anos de idade (Sette Câmara tem 55). São pessoas com hipertensão, diabetes, com alguma questão que possa reduzir a imunidade. Eu tenho uma situação que é hereditária, preciso me cuidar, tomar vacina biológica, tenho imunidade muito baixa. Estou no grupo de risco, seja pela idade ou por essa questão, do reumatismo, que tenho de cuidar por muitos anos”, disse o dirigente, ressaltando, em seguida, a necessidade de atenção até mesmo para quem é pouco suscetível a contrair a enfermidade. 

Todas as pessoas, de modo geral, precisam estar atentas, seja porque podem ser vítimas do vírus e ficarem doentes, ou, as mais jovens, podem transmitir isso aí a esse grupo chamado de risco. Portanto, é uma situação em que todos têm de ter a consciência de que se souber de alguém que está doente, ou se souber que está doente, comunicar às pessoas com quem teve contato para que todos ajam com a maior rapidez possível”, complementou.

Sette Câmara afirmou que o Atlético usará sua força na mídia para conscientizar a população dos riscos. “Vamos fazer uma campanha. Conversei com o Domênico (Bhering, diretor de comunicação), vamos colocar nossos atletas e nossa comissão técnica para fazer alguns esclarecimentos aos torcedores e aproveitar a força que o futebol e o Atlético têm para ajudar todos os torcedores e a população em geral na conscientização da gravidade do momento e das medidas para amenizar essa crise”.

O dirigente também comentou a decisão de suspender as atividades do futebol profissional. “É um momento muito grave da nossa história. Todos temos de tomar atitudes para tentar minimizar essa crise que vamos viver pelos próximos três ou quatro meses. De pronto, tomei a iniciativa de fechar o clube em todos os segmentos. Sede administrativa, clubes sociais e centro de treinamento. Os jogadores a partir de amanhã ficam em casa, eles terão acompanhamento da nossa turma de preparação física. É isso. Todos nós temos que, infelizmente, nos isolar”.

De acordo com as secretarias estaduais de saúde, o Brasil tem 346 casos de pessoas contaminadas pelo coronavírus. Em São Paulo, um homem de 62 anos morreu em consequência da covid-19. Ele sofria de diabetes e hipertensão. Em Minas Gerais, o número de infectados subiu de seis para 14. O avanço da pandemia no país impactou no futebol, motivando a paralisação de 25 campeonatos estaduais e também da Copa do Brasil por tempo indeterminado.

Futebol


À Rádio Itatiaia, Sette Câmara ainda falou a respeito das várias mudanças no departamento de futebol do Galo. Na segunda-feira, o diretor Alexandre Mattos iniciou oficialmente seu trabalho no clube. Já nesta terça, a cúpula alvinegra demitiu vários profissionais: o preparador de goleiros Chiquinho, o auxiliar James Freitas, o observador técnico Bernardo Motta, o analista de mercado Neguete e os seguranças Jorginho e Lúcio Fábio.

“Acho que é natural. Conversamos com o Sampaoli e o Alexandre na época das contratações deles, e eles nos colocaram que gostariam de fazer mudanças no corpo técnico. Disseram que gostariam de trabalhar com pessoas da confiança deles. Natural, acho que isso acontece, algumas pessoas estavam há mais tempo no Atlético, mas ninguém é eterno. Faz parte do nosso cotidiano”, encerrou o presidente atleticano.

Tags: Atlético doença interiormg futnacional coronavírus Sette Câmara