Atlético

ATLÉTICO

Dos sete jogadores dispensados por Sampaoli, qual você daria mais uma chance no Atlético? Vote na enquete

Treinador do Galo listou sete nomes que não estão mais nos planos para a sequência da temporada

postado em 11/05/2020 10:00 / atualizado em 11/05/2020 11:19

(Foto: Bruno Cantini/Agência Galo/ Atlético)

Nesta segunda-feira, jogadores e comissão técnica do Atlético se reapresentarão para fazer exames de COVID-19, primeira medida tomada pelo clube antes de retomar os treinamentos na Cidade do Galo. Entretanto, sete jogadores não irão se apresentar junto do elenco, isso porque eles compõem uma lista de dispensa criada pelo técnico Jorge Sampaoli.

 
Não mais fazem parte dos planos do treinador argentino o lateral-esquerdo Lucas Hernández, os volantes Zé Welison e Ramón Martínez e os atacantes Edinho, Clayton, Ricardo Oliveira e Franco Di Santo. O Superesportes quer saber: deste sete atletas, qual deles o torcedor atleticano daria mais uma chance? Vote na enquete.

Lucas Hernández

Contratação mais cara da ‘Era Rui Costa’, Hernández foi adquirido pelo Atlético em 2019 junto ao Peñarol-URU por 3 milhões de dólares (cerca de R$ 12 milhões à época). Com contrato até o fim de 2022, o lateral-esquerdo fez apenas sete partidas e não marcou nenhum gol. Pelas más atuações, foi alvo frequente da torcida alvinegra. O Galo tentou negociá-lo no começo do ano, mas não obteve sucesso. Jogador deve ser emprestado no futuro

Zé Welison

No Galo desde 2018, Zé Welison chegou sem custos ao clube alvinegro. Foram 66 jogos com a camisa do Atlético e nenhum gol marcado. Expulsões em momentos delicados marcaram o jogador com a torcida atleticana. O contrato do volante vale até o fim de 2023, por isso deverá ser negociado por empréstimo.

Ramón Martínez

O volante paraguaio Ramón Martínez, comprado no ano passado por cerca de 2,2 milhões dólares (pouco mais de R$ 8 milhões à época) do Guaraní-PAR, tem vínculo com o Galo até o fim de 2022. O jogador disputou 14 jogos e não balançou as redes. Ele chegou a ser convocado para a Seleção Paraguaia, mas no Atlético, não agradou a torcida e comissões técnicas, figurando entre os reservas a maior parte do tempo. Futuro do atleta deve ser um empréstimo.

Edinho

Edinho chegou ao Atlético em 2018 ao assinar um contrato de cinco anos. À época, especulava-se que a transferência custou cerca de 600 mil dólares (cerca de R$ 2.2 milhões naquele período), informação que não foi confirmada oficialmente por conta de uma cláusula de confidencialidade no contrato.

No entanto, o atacante não se firmou e foi emprestado ao Fortaleza, seu clube de origem, depois de seis jogos e nenhum gol pelo alvinegro. Este ano, ele retornou à Cidade do Galo, mas foi pouco aproveitado, participando apenas de cinco partidas e sem balançar as redes. Após a volta do futebol, o jogador de 25 anos deve retornar ao Leão por empréstimo para disputar a sequência da temporada.

Clayton

Único jogador da lista de dispensa contratado fora da gestão Sérgio Sette Câmara, Clayton foi comprado ao Figueirense em 2016 pelo então presidente Daniel Nepomuceno. Para contar com o atacante, o Galo pagou cerca de 3 milhões de euros (cerca de R$ 13 milhões na época). Além disso, cedeu por empréstimo o meia Dodô e o atacante Rafael Moura, que foi adquirido para entrar na operação pelo atacante.

Depois de altos e baixos no primeiro ano, Clayton perdeu espaço no Atlético. Sem conseguir se firmar, ele rodou por empréstimo para outros clubes: Corinthians, Bahia e Vasco. Em 62 jogos, foram nove gols marcados. O contrato dele vai até o fim desta temporada, e o alvinegro tenta a rescisão do vínculo.

Ricardo Oliveira

Principal contratação do Atlético no primeiro ano da gestão de Sérgio Sette Câmara (2018), o atacante chegou à Cidade do Galo sem custos e assinou vínculo de dois anos. Com o início positivo no Campeonato Mineiro, o centroavante teve seu compromisso renovado até o fim de 2020. Internamente, a diretoria avalia que a extensão do contrato foi uma atitude precipitada – naquela ocasião, o clube temia que ele recebesse proposta de outras equipes do Brasil e do exterior. Agora, o Galo tenta rescindir o contrato. Com a camisa alvinegra, Ricardo Oliveira disputou 110 jogos e marcou 37 gols.

Franco Di Santo

Aposta do ex-diretor de futebol Rui Costa, Di Santo chegou de graça ao Galo no meio do ano passado. O argentino estava sem clube e vinha de uma fraca passagem pelo Rayo Vallecano-ESP, cedido por empréstimo pelo Schalke 04-ALE. Em 23 jogos com a camisa alvinegra, o atacante marcou apenas sete gols. O contrato do jogador vale até o fim de 2020. Atlético deve tentar a rescisão com o centroavante.

Tags: atleticomg interiormg futnacional seriea