Atlético

ATLÉTICO

Mariano diz que Sampaoli pesou em retorno ao Atlético, garante que polêmica de 2008 foi superada e analisa disputa na lateral

Apresentado nesta terça-feira, lateral-direito volta a trabalhar com argentino

postado em 04/08/2020 10:21 / atualizado em 04/08/2020 12:19

(Foto: Bruno Cantini/Atlético)

Novo reforço do Atlético na ‘era’ Jorge Sampaoli, Mariano foi apresentado na manhã desta terça-feira, na Cidade do Galo. O lateral-direito, de 34 anos, explicou a decisão de voltar ao futebol brasileiro depois de quase dez temporadas na Europa e destacou a vontade de atuar novamente sob o comando do treinador argentino, com quem trabalhou no Sevilla, em 2016/17. Ele assinou contrato com o Alvinegro até o fim de 2022. 

“Eu tinha uma grande vontade de voltar ao Brasil pela questão de família depois de quase 10 anos fora, desde o final de 2011. Já estava com isso em mente. A minha prioridade era voltar ao Brasil. Com trabalho, estrutura e grandeza do Atlético, junto com Sampaoli, um treinador que todos sabem a experiência e a qualidade como treinador, claro que facilitou para mim. Tivemos um ano juntos no Sevilla e fizemos um bom trabalho. Juntou tudo isso. Pelo que o Atlético está realizando nos últimos anos e, claro,  o Sampaoli contou muito também. Conversamos. Tivemos contato pelo trabalho que ele fez no Santos, no ano passado. O trabalho que está criando aqui no Atlético contou bastante para que eu voltasse ao Brasil”, declarou o defensor, que detalhou o papo com o técnico antes de fechar com o Galo



“Tivemos uma conversa normal. Tivemos um contato muito bom no Sevilla, fizemos um trabalho muito bom. Terminamos  a Liga em quarto, com grandes equipes na Espanha. Quando ele veio ao Brasil, dei os parabéns para ele pelo trabalho no Santos. Acompanhava muito o futebol brasileiro e via o trabalho dele. Conversei e dei os parabéns pelo trabalho maravilhoso. Ele sabia que eu estava em término de contrato no Galatasaray. Ele perguntou se eu tinha vontade de voltar, e a minha prioridade era voltar ao Brasil. Eu só não voltaria se tivesse uma oferta muito grande lá fora que eu não poderia dizer não. A minha família também queria voltar ao Brasil. Conversamos. O Galatasaray não veio com oferta de prolongar meu contrato. Sampaoli veio para o Atlético e falou: “se pintar algo no Atlético, você vem?” Falei:  “professor, a hora que você me chamar, se for possível, eu irei”. Estou aqui. Vamos fazer um grande trabalho aqui também”, projetou. 

Polêmica no Galo em 2008


Em 2008, Mariano teve passagem curta e polêmica pelo Atlético, em 2008. Ele atuou em apenas 19 jogos, todos como titular da equipe de Marcelo Oliveira, e acabou dispensado do clube por indisciplina junto ao lateral-esquerdo Calisto e ao meia Lenílson. Na véspera de um jogo contra o Palmeiras, os três deixaram o hotel onde a delegação alvinegra estava concentrada em São Paulo e retornaram de madrugada. Os três tiveram o contrato rescindido por justa causa. 

Mariano trata o episódio como aprendizado e ressalta que os feitos na carreira provam que o problema ocorrido no Atlético foi superado. “Doze anos. Não vou falar que esqueci, pois aprendi muito com o que aconteceu em 2008. Depois do que aconteceu, eu provei para mim e para muitas pessoas que eu poderia fazer muito melhor do que eu fiz de errado e passar por cima de tudo aquilo. Se você olhar, depois desse fato, minha carreira foi crescendo. Não vejo oportunidade de tentar mudar o que eu fiz, claro que eu vim para fazer o meu melhor e ajudar o Atlético a ser campeão, mas a minha história nesses doze anos já pode falar por si depois desse fato”, afirmou. 
 
Na sequência da carreira, Mariano se destacou por Fluminense (2009 a 2011), Bordeaux-FRA (2012 a 2015) e Sevilla-ESP (2015 a 2017). Nas últimas três temporadas, esteve no Galatasaray, da Turquia. O lateral também tem passagens por Cruzeiro, Ipatinga, Tombense e Guarani-SP. Ele foi convocado para a Seleção Brasileira em duas oportunidades, em 2010 e 2017. 



Disputa na lateral direita

No Atlético, Mariano disputará posição na lateral direita de Guga, atual titular, e Mailton. O experiente jogador elogiou os concorrentes e apontou as características adquiridas na Europa que podem contribuir com a equipe. 

“O Atlético tem dois laterais muito bons. Estou chegando para brigar com eles. Tenho essa consciência que preciso fazer o meu melhor e preciso treinar bastante. Não tem vaga certa, não tem titular. Os dois laterais que aqui estão sabem que o futebol é assim. Não pode dar mole, que pode chegar outro. Esse é meu modo de pensar e trabalhar para ajudar o Atlético. O objetivo é ser campeão. Toda a equipe colocar esse pensamento de ajudar um ao outro vamos sair campeões. Individualmente, mudei bastante desde 2008. Aprendi a questão da marcação. Na época do Fluminense, meu forte era o ataque. Aprendi a defender. Na Espanha, eu tinha que atacar. Antes do Sampaoli (no Sevilla), com Unai Emery usava muito os laterais. Meu forte é atacar, claro que pensando na defesa”, concluiu. 











Tags: atlético mariano interiormg seriea jorge sampaoli