Atlético

ATLÉTICO

Depois de vetar Thiago Neves, torcida do Atlético também rejeita Villa, do Boca, acusado de agressão

Diretoria do Atlético volta a viver impasse em negociação por conta de repercussão negativa entre os torcedores nas redes sociais

postado em 16/09/2020 22:47 / atualizado em 17/09/2020 01:01

(Foto: AFP / JUAN MABROMATA)


ATENÇÃO: após forte rejeição da torcida nas redes sociais ao nome de Villa, acusado de agredir sua ex-namorada na Argentina, o presidente do Atlético se manifestou nas redes sociais e informou que desistiu da contratação do atacante do Boca Juniors.

A seguir, leia o texto original desta reportagem:

Atlético avançou nas conversas com o Boca Juniors da Argentina para contratar o atacante colombiano Sebastián Villa, de 24 anos, mas a forte rejeição de sua torcida ao jogador pode interromper mais uma negociação em menos de 48 horas. Na segunda-feira, o clube desistiu de fechar com o meia Thiago Neves em função da repercussão negativa que o acordo, até então verbal, teve nas redes sociais pelo histórico de provocações do ex-cruzeirense. 

No caso de Villa, o ‘não’ de grande parte dos atleticanos, principalmente no Twitter, deve-se à denúncia feita em abril, pela ex-namorada do jogador, Daniela Cortés, de que ele a agredia física e verbalmente. À época, a companheira do colombiano alegou ter perdido um bebê como consequência da violência doméstica. O caso ainda está sob investigação, mas o atacante foi afastado pelo Boca desde então.

Veja, a seguir, as denúncias de Daniela Cortés, ex-namorada de Villa:

Ver essa foto no Instagram

Lamentablemente me toca hacer esto hoy,porque ya no aguanto más!! Fueron 2 años viviendo juntos de muchos sufrimientos en los cuales perdone y perdone golpes esperando un cambio de parte de él y nunca pasó! Hay amenazas y todo diciendo que me va a dañar la vida y la de mi familia llamando a personas malas que trabajan en mi Cuidad haciendo que sólo entre en desesperación al ver a mi familia en peligro,hago esto por miedo porque este hombre quien lo ve en redes o prensa como si fuera un hombre sabio y habla con madurez pero la realidad es otra.Un maltratador tanto físico como sicólogico , y mucha gente está de testigo! No entiendo una persona %u201Cprofesional%u201D como es capaz de hacer tanto daño y que porque tiene malas amistades solo se dedica amenazar y humillar,siento un dolor muy grande tener que estar en un país que no conozco y donde estoy sola sin Mi familia y no poder viajar y salir corriendo con miedo que pase algo con mi vida y la de mi familia. Este es el verdadero Sebastian villa ,el que maltrata mujeres,porque no he sido la única. Yo solo le pedí a él y a sus empresarios ayuda para poder viajar a mi país y estar con mi familia y mi hija es lo único que necesito en estos momentos,ya no aguanto más me siento frustrada ante esta situación. No tengo otra opción por el bienestar de toda mi familia por que el es capaz de hacer cualquier cosa no saben la clase de hombre que es...

Uma publicação compartilhada por Daniela Cortes M (@danicortesms) em




Tão logo o avanço do Atlético na negociação com Villa ganhou as manchetes na noite desta quarta-feira, torcedores e páginas atleticanas no Twitter se manifestaram contra a contratação. 

A Galo Antifa manifesta seu repúdio ao Atlético pela contratação ou negociação do jogador Villa, acusado de agredir a namorada. Um clube que levou Maria da Penha ao campo não pode fazer virar o rosto no combate à violência contra mulheres. Nos últimos anos o Clube vêm cometendo erros sistemáticos contra as mulheres e reafirmamos que não aceitamos nem queremos mais jogadores desse tipo em nosso elenco. Novamente convocamos a torcida e até os jogadores a se posicionarem contra a vinda desse jogador”, escreveu o movimento Galo Antifa, que se define como ‘antifascistas unidos pelo amor ao Galo e o combate a todo tipo de preconceito e discriminação!’.



O movimento Grupa Galo, composto por atleticanas engajadas contra machismo, racismo, homofobia e todo tipo de preconceito e discriminação no futebol, também se manifestou no Twitter contra a negociação para a chegada de Villa ao Atlético.



“Nota sobre a possibilidade de contratação do jogador Sebastián Villa. A Grupa espera coerência, tendo em vista o histórico pessoal do atleta”, escreveu. No comunicado, o movimento alerta. “Qual mensagem passa o Atlético sobre a violência doméstica?”.

Um Clube que, em campanha sobre o Dia das Mulheres, trouxe a própria Maria da Penha a campo, agora é permissivo e normaliza a violência doméstica contra as mulheres. Desde abril, o nome do jogador repercute na imprensa esportiva, associado ao tema da violência de gênero. Esperamos que o clube reveja essa contratação em nome do bom senso e em respeito a suas torcedoras e torcedores”, concluiu a nota da Grupa.



O grupo Resistência Alvinegra fez uma longa argumentação contra o eventual acerto com Villa. "A torcida Resistência Alvinegra vem através de seus meios de comunicação informar que é 100% contra a possibilidade de negociação do nosso Clube Atlético Mineiro com Sebastian Villa. Conforme apurado em vários meios de comunicação esta pessoa tem um histórico criminoso de violência contra a mulher e devido a esse histórico somos completamente contra a vinda dessa pessoa ao nosso #GALO. É inadmissível em pleno século XXI não avançarmos em pautas como a da igualdade de gênero e NÃO VIOLÊNCIA contra a mulher. O Brasil neste semestre de 2020 bateu recorde em caso de feminicídio e precisamos agir contra a mais esse tipo de violência. Temos que SIM se manifestar contra. Esse é nosso recado. Em respeito a TODAS as mulheres atleticanas e a grande maioria das mulheres que compõem a Torcida Resistência Alvinegra somos CONTRA a contratação de Sebastian Villa pelo nosso GALO".

“É inadmissível que o @Atletico contrate Sebastian Villa!!!!!!!!! Não queremos agressores de mulheres saindo impunes de seus crimes!!!!!!!!!!!”, escreveu um torcedor.

“Lugar de agressor é na cadeia, não em campo de futebol. sebastian villa NÃO! vocês estão desrespeitando as mulheres, as suas torcedoras, as mães e filhas de seus torcedores, e desrespeitando ta”, postou outra torcedora do Galo.

“Thiago Neves usou a tragédia de Brumadinho para tentar' zoar o Atlético. Sebastian Villa acusado de espancar covardemente a esposa. Tu queria o que? Que a gente passa pano?”, posicionou-se mais um atleticano.

Outro torcedor do Galo ironizou as apostas de Sampaoli e da diretoria. “O @Atletico quer TN e Sebastian Villa, agressor de mulher. Mas não quer Cazares por causa do extracampo”. A crítica diz respeito ao fato de que o equatoriano Juan Cazares está fora dos planos de Jorge Sampaoli em função de seguidas polêmicas fora dos gramados.

“Não se orgulha tanto em ser o time do povo? Faz campanha e postagens defendendo N assuntos pertinentes e vai sujar nossa história trazendo o Villa? Bola fora, cancela isso ae Galo. #AgressorNoGaloNÃO”, escreveu outro torcedor.

Negociação se arrasta há meses


As tratativas para contratar o ponta de 24 anos se arrastam há pelo menos dois meses e esbarraram em seguidas mudanças de posicionamento do clube argentino. Denunciado de agressão pela ex-companheira Daniela Cortés, Villa, oficialmente, foi afastado das partidas do Boca, mas tem defensores na diretoria. 

Por isso - e pelo valor de mercado consideravelmente alto do jogador -, integrantes da alta cúpula alvinegra tratam o negócio com paciência. O Boca chegou a rejeitar ofertas anteriores, mas, desta vez, o clube mineiro tem mais esperança no acordo.

No início de setembro, a imprensa argentina noticiou uma proposta de 4 milhões de dólares (quase R$ 21 milhões na cotação atual) feita pelo Atlético e recusada pelos argentinos. No último dia 7, o Olé publicou que Villa, diante da denúncia de agressão e a incerteza sobre quando voltaria a jogar, comunicou aos dirigentes do Boca que deseja deixar o clube.

Na atual temporada, o colombiano soma 20 partidas (15 como titular) e dois gols marcados com a camisa do Boca Juniors. Jogador rápido e habilidoso, costuma atuar pelo lado direito e agrada ao técnico Jorge Sampaoli. Chegaria à Cidade do Galo com status de titular, em posição que tem sido ocupada na maioria das vezes pelo venezuelano Jefferson Savarino.

Ao menos até a noite desta quarta-feira, o Atlético trabalhava para fechar o quanto antes a contratação de Villa e tranquilizar Sampaoli, que tem cobrado reforços quase diariamente. Se insistir e conseguir tirar o colombiano do Boca, o clube alvinegro terá de esperar até 13 de outubro - quando abre a janela de transferências internacionais - para registrá-lo.

Além de um atacante de velocidade, o Atlético está em busca de um meia armador, que tenha como características chegada à área e boa finalização.

Tags: atletico torcida villa agressão bebê rejeição namorada boca juniors sebastian villa repercussão negativa