Atlético

ATLÉTICO

Atlético leiloará obra digital da defesa de Victor e adere à tecnologia NFT

Galo colocará no mercado, via leilão, uma obra digital e exclusiva da histórica defesa do ex-goleiro contra o Tijuana, na Libertadores de 2013

postado em 06/05/2021 17:15

(Foto: Divulgação/Atlético)

O Atlético se tornou o primeiro clube da América do Sul a adotar a tecnologia NFT (em Inglês, Non-Fungible Token), tokens baseados na blockchain, que representam ativos digitais, como imagens, vídeos, áudios e outros. A partir da próxima segunda-feira, o clube vai leiloar uma obra digital e exclusiva da histórica defesa do goleiro Victor contra o Tijuana, pelas quartas de final da Copa Libertadores de 2013. 

Como não são fungíveis, os NFTs são únicos, impossíveis de serem copiados. A presença na blockchain torna-os rastreáveis a quem procura o produto original.

Com as novas estratégias, o clube pretende atingir diversos públicos em todo o planeta. “O Atlético quer diversificar suas fontes de receita e, para isso, está de olho nas principais novidades tecnológicas existentes no mundo”, afirma Plínio Signorini, CEO do alvinegro. “É uma oportunidade de se oferecer a colecionadores de todo o planeta uma obra digital, feita com exclusividade”, completou.

A obra que será leiloada foi feita pelo artista Pedro Nuin, chamado para recriar a defesa de pênalti de Victor contra o Tjiuana, nas quartas de final da Copa Libertadores de 2013. Na ocasião, o ex-goleiro defendeu a cobrança efetuada por Riascos, nos acréscimos do segundo tempo, e evitou a eliminação da equipe na competição.

Para a elaboração da obra (chamada de 2013 – São Victor), não houve rascunho ou primeiros traços com lápis e papel. Desde a sua concepção, tudo foi feito na tela do computador, usando um mouse, linha por linha, com destaque para o estilo circular de sombras e efeitos aplicados, uma técnica autoral, a fim de registrar assinatura estética à arte e torná-la única. A obra é 100% digital e não estará disponível fisicamente.

O Atlético optou por realizar o leilão da obra nos Estados Unidos, país onde o mercado de NFTs está mais desenvolvido. O Galo fez uma parceria com a empresa Footcoin.us, de Nova York, que coordenará a emissão do token e a estrutura jurídica da oferta. 

Além da obra, o vencedor do leilão receberá um vídeo em time lapse, gravado por Pedro Nuin, que mostra todo o processo de criação, da tela em branco até a linha final.

O leilão começará no dia 10 de maio, na plataforma opensea.io, e irá até 30 de maio, data em que a defesa completará oito anos.

Cards de jogadores


(Foto: Divulgação/Atlético)

O Atlético também está se associando à Sorare, plataforma que mistura cards colecionáveis e fantasy game com o uso da tecnologia blockchain e dos tokens não-fungíveis.

Em breve, os usuários da plataforma poderão colecionar cards digitais dos atletas alvinegros. A venda também será feita por leilão. 

Existirão três categorias para os cards: raro, com 100 unidades e preço mínimo no leilão de 5 dólares (R$ 26,40 na cotação atual); super raro, com dez unidades e preço mínimo de 50 dólares (R$ 264); e único, com uma unidade e preço mínimo de 500 dólares (R$ 2.640).

Na Sorare, os usuários montam times a partir dos NFTs adquiridos. Os cards dos jogadores podem valorizar devido ao desempenho em campo e também por sua raridade.
Em março, o card “único” do atacante português Cristiano Ronaldo, da Juventus, foi 84,4 mil euros (cerca de R$ 290 mil na cotação da época). No mês, a Sorare movimentou cerca de R$ 28 milhões. 

Mais de 130 clubes do futebol mundial têm parceria com a Sorare, incluindo Bayern, Juventus, Inter de Milão, Liverpool, Milan, PSG, Real Madrid e Ajax.

Tags: galo atlético interiormg