Atlético

ATLÉTICO

Cuca explica crescimento do Atlético no 2° tempo: 'Entendemos mais o Bahia'

Treinador diz que Galo entendeu forma de jogar do adversário; para ele, isso foi fator fundamental para o triunfo no Mineirão

postado em 25/07/2021 14:17

(Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
 
Depois de um primeiro tempo de muitas dificuldades, o Atlético deslanchou na etapa final e goleou o Bahia, por 3 a 0, no Mineirão, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para o técnico Cuca, o time visitante surpreendeu na estratégia de jogo e, por isso, o Galo não conseguiu sair da forte marcação adversária e criar muitas oportunidades.

 
"A gente tem de analisar o jogo. Cada jogo te oferece uma coisa. Você não sabe como o adversário vai vir jogar. E eu não esperava o Bahia com uma linha de cinco como eles fizeram, outra linha de quatro e Gilberto. Então se eles encurtam e fazem uma marcação bem curta com fizeram, encaixando as linhas, vai te sobrar um lado do campo uma vez ou outra, como sobrou para nós com o Dodô", disse o treinador, que ressaltou a adaptação do Galo ao esquema do Bahia para conquistar a vitória no Mineirão.
 
"Nós tivemos que nos adaptar à situação do jogo durante o jogo. E no meio tempo nós mudamos, fizemos o que entendemos que deveria fazer para aquele momento. E quem entrou, entrou bem. Contribuiu para a nossa vitória, abrindo mais espaços. E fizemos um segundo tempo bem melhor do que o primeiro porque entendemos mais o adversário", completou.
 
Mudanças na equipe
 
Cuca poupou dois titulares no jogo deste domingo contra o Bahia: Tchê, que foi acionado no intervalo, e Savarino, que não ficou nem no banco de reservas. Os substitutos foram Alan Franco e Dylan, que não tiveram bom desempenho. Cuca, no entanto, ressaltou que precisava dar mais minutos de jogo aos dois atletas.
 
"O Dylan é um jogador que vem correspondendo muito quando ele entra nas partidas. Foi assim com América, com Corinthians, e em outros jogos. E o Alan Franco foi uma oportunidade que demos a ele. Ele jogou a Copa América e vem treinando muito forte. E o Dodô que estava com uma dor no pé. Nós o preservamos para pôr o Alan Franco para jogar e o Dylan. Lógico que eles sentem a falta de um ritmo de jogo e até de um conhecimento maior dos próprios companheiros, né? Sempre que treinam, eles treinam contra os companheiros. Você também não faz coletivos, você faz jogos pequenos ou treinos contra a base. Eles sentiram nesse aspecto, mas são jogadores de nossa confiança. A ideia deles foi essa, ter uma manutenção do sistema, uma chegada forte à frente, coisa que no primeiro tempo não aconteceu muito", concluiu.
 
O Atlético voltará a campo na próxima quarta-feira, para enfrentar o próprio Bahia. Desta vez, o jogo será pela Copa do Brasil. A bola rola às 21h30, no Mineirão.

Tags: galo atlético interiormg seriea