Atlético irá à Justiça do Rio para executar cobrança de R$ 18 mi a Fred

Galo, porém, admite que recebimento dos valores da multa pela transferência do atacante ao Cruzeiro, em 2017, deve demorar

24/09/2021 10:04
compartilhe
Fred e Atlético debatem multa milionária na Justiça
foto: Mailson Santana/Fluminense

Fred e Atlético debatem multa milionária na Justiça


O Atlético acionará a Justiça do Rio de Janeiro na próxima semana para cobrar R$ 18.654.417,00 do centroavante Fred, atualmente no Fluminense. Trata-se do valor corrigido da multa de R$ 10 milhões a ser paga pelo jogador por ter se transferido da Cidade do Galo ao Cruzeiro, em 2017.

Vice-presidente do clube alvinegro, José Murilo Procópio, porém, crê que o pagamento ainda vai demorar a ser efetuado.

"Demora, porque agora é que vamos iniciar realmente a execução. Agora é que chegamos ao valor líquido e certo e passamos por todas aquelas instâncias administrativas, como foi no CNRD (Câmara Nacional de Resolução de Disputas), houve ações na Justiça do Trabalho... Aquilo tudo já está superado, agora é uma mera execução, porque temos o valor líquido e certo para ser cobrado", afirmou, em entrevista à Rádio 98FM nesta sexta-feira.

Fred ainda tenta reverter as decisões contrárias que teve tanto no âmbito arbitral, quanto na Justiça comum. O jogador também busca que o Cruzeiro - que o contratou sabendo da existência da multa - pague os valores devidos.

A discussão se iniciou quando, no fim de 2017, Fred deixou o Atlético e acertou com o arquirrival. No acordo de rescisão, ficou definido que o atleta teria de pagar R$ 10 milhões ao ex-clube caso se transferisse para a Raposa.

Entenda o caso

O imbróglio começou em dezembro de 2017, quando Fred - que acabara de rescindir com o Atlético - assinou contrato com o Cruzeiro. No acordo que finalizou o vínculo com o clube alvinegro, o centroavante se comprometia a pagar R$ 10 milhões em multa caso se acertasse com o rival.

No acordo com Fred, o Cruzeiro se comprometeu a arcar com a multa. O caso, então, foi para a Justiça.

Compartilhe