Atlético
1

ASSÉDIO SEXUAL NO MINEIRÃO

Atlético se pronuncia após casos de assédio no Mineirão: 'Absoluto repúdio'

Em nota oficial, Galo se solidariza com vítimas e afirma que irá trabalhar junto às autoridades para punir e coibir abusos

postado em 11/11/2021 20:01 / atualizado em 12/11/2021 14:41

(Foto: Reprodução)
 
 
O Atlético se manifestou oficialmente na noite desta quinta-feira (11) e repudiou os recentes casos de assédio sexual ocorridos em partidas do clube no Mineirão. Em nota, o Galo afirma que "irá atuar de forma contundente junto às autoridades e à segurança do estádio, no sentido de coibir essa prática e exigir punição aos infratores".
 

Após a vitória atleticana diante do Corinthians, por 3 a 0, na última quarta, a torcedora Débora Cotta, de 25 anos, relatou ter sido assediada por outro torcedor nos corredores do Mineirão . No dia 3 de novembro, na partida entre Galo e Grêmio, a torcedora Karinne Marques Guimarães , de 21 anos, foi vítima de outro caso de assédio no estádio. 

No comunicado, o Atlético afirma que se reuniu na tarde desta quinta com representantes da Guarda Municipal; Polícia Civil (Divisão Especializada em Atendimento à Mulher, ao Idoso e à Pessoa com Deficiência e Vítimas de Intolerância - DEMID); e Conselho Municipal dos Direitos da Mulher. 

Além de trabalhar junto às autoridades e à segurança do estádio para punir e coibir essas práticas, o Galo afirma que iniciará uma campanha de conscientização sobre o tema. "Também conclamamos os torcedores para que estejam vigilantes e denunciem às autoridades de segurança os casos que testemunharem", ressalta o clube.

Nota oficial do Atlético


"O Atlético manifesta absoluto repúdio aos casos de importunação sexual registrados nos últimos jogos no Mineirão.
 
O Clube irá atuar de forma contundente junto às autoridades e à segurança do estádio, no sentido de coibir essa prática e exigir punição aos infratores.
 
O Galo já se reuniu, na tarde de hoje, com representantes da Guarda Municipal; Polícia Civil (Divisão Especializada em Atendimento à Mulher, ao Idoso e à Pessoa com Deficiência e Vítimas de Intolerância - DEMID); e Conselho Municipal dos Direitos da Mulher para iniciar uma campanha de conscientização sobre o tema.
 
Também conclamamos os torcedores para que estejam vigilantes e denunciem às autoridades de segurança os casos que testemunharem.
 
O Galo valoriza imensamente a presença cada vez maior das mulheres no estádio e entende que a festa da Massa nas arquibancadas tem que começar pelo respeito.
 
Importunação sexual é crime e não será tolerada.

Não é não!
 
Aqui é Galo!"

Posicionamento da Polícia Militar


O Superesportes entrou em contato com a Polícia Militar , que confirmou que as câmeras do estádio captaram os fatos narrados pela torcedora. A violência contra Débora ocorreu às 20h07 dessa quarta-feira, no nível amarelo, anéis de acesso 321 e 322. O torcedor tinha cor parda, camisa do Atlético e bermuda. Apesar das imagens, ele não foi localizado. A Polícia Civil instaurou procedimento para apuração dos casos no Mineirão.
 
 

O que disse a Minas Arena


Já no início da noite desta quinta-feira (11/11), a Minas Arena, gestora do Mineirão, emitiu uma nota, na qual informou que as imagens com o flagrante do assédio à torcedora Débora Cotta foram entregues às Polícias Militar e Civil.

O Superesportes entrou em contato com a empresa Bromo Segurança , que presta serviço para a Minas Arena. A Bromo disse que apenas a Minas Arena pode se posicionar sobre os casos.

Nota oficial do Mineirão


O Mineirão informa que já entregou às autoridades policiais as imagens do circuito interno de vigilância para a apuração dos fatos relatados pela torcedora Débora Cotta, ocorridos na partida entre Atlético e Corinthians, pelo Campeonato Brasileiro. O material foi disponibilizado para a Polícia Militar, ainda na noite de quarta-feira (10). 

Nesta quinta-feira (11), a Polícia Civil, responsável pela investigação do caso, também fez uma solicitação formal das imagens. O fato aconteceu próximo a um bar do setor Amarelo Superior durante o intervalo da partida. Após o ocorrido, a torcedora foi encaminhada por um vigilante ao Juizado Especial Criminal (Jecrim) do estádio.

O Mineirão reitera seu compromisso com a diversidade e a inclusão. O estádio promove a ação "Deixa Ela Trabalhar", pregando respeito às mulheres jornalistas, e mantém a hashtag da campanha (#deixaelatrabalhar) exposta na tribuna de imprensa.

Em 2019, o Mineirão lançou o "Repense", um convite a todos para que o estádio seja, cada vez mais, um ambiente acolhedor e agradável para as mulheres. É importante que denúncias sejam feitas para que o estádio leve ao conhecimento das autoridades policiais. 

Em caso de assédio ou importunação sexual dentro do estádio durante um jogo, o Mineirão aconselha que a torcedora procure a equipe de segurança ou a orientação de público, que vai lhe direcionar até o Jecrim, localizado próximo ao estacionamento G2, onde as autoridades competentes conduzirão a situação.

Tags: atlético corinthians mineirao atleticomg interiormg futnacional atléticomg corinthianssp gremiors seriea