Atlético
1

LADO NEGATIVO

Falta de banheiros químicos e urina na rua estragam brilho da festa do Galo

Em Lourdes, apenas duas cabines atendiam a multidão, que preferiu se aliviar nas vias públicas

postado em 02/12/2021 23:22 / atualizado em 03/12/2021 03:06

(Foto: Gabriel Ronan/EM/DA Press)
Nem tudo foi festa na  comemoração do bicampeonato brasileiro  pelo Atlético nesta quinta-feira (2/12). Na sede de Lourdes, onde a maioria dos torcedores foi assim que o apito final soou em Salvadoro, apenas dois banheiros químicos estavam disponíveis para atender a multidão. O resultado: prevaleceu a falta de educação, com boa parte do público no local decidindo se aliviar nas ruas do entorno, que ficaram tomadas por urina.

O lixo também se acumulou nas ruas, já que não foi montado um esquema de descarte de resíduos, principalmente garrafas e latas de cerveja. 

Na Praça Sete, onde o cantor Bell Marques comandava a noite e o elenco do Galo era esperado, a situação era apenas um pouco melhor. Mesmo com dezenas de banheiros químicos instalados no local, muita gente urinava em árvores, paredes ou na rua. 

O Superesportes procurou o Atlético para se posicionar sobre a falta de banheiros químicos na sede de Lourdes, mas não obteve resposta até a publicação deste texto


Máscara vira acessório de luxo

 

Mesmo com a pandemia da COVID-19 ainda vigente, a maioria dos torcedores decidiu ignorar solenemente as medidas de prevenção. As máscaras, por exemplo, eram artigo de luxo no rosto do público. 

Festa em preto e branco: Atlético campeão brasileiro

 
A vitória contra o Bahia, em Fonte Nova, sacramentou o bicampeonato brasileiro do Atlético - aguardado  há 50 anos, desde 1971, quando o alvinegro conquistou a primeira edição  do atual formato da competição. O triunfo no Nordeste levou o Galo aos 81 pontos, com 75% de aproveitamento, e portanto, não pode mais ser alcançado pelo Flamengo, que chega no máximo a 79 pontos. 
 
Mesmo com a pandemia do novo coronavírus ter impedido a presença constante da torcida, o Galo garantiu o  recorde de presentes no Mineirão, desde a reabertura do estádio, em 2013 . Isso porque o público foi liberado para os nove últimos compromissos do Atlético disputados em BH, nos quais foi registrada uma média de aproximadamente 40 mil.
 
Na vitória por 2 a 0 sobre o Juventude, três rodadas atrás, os alvinegros alcançaram 61.476 presentes, a maior marca desde a reinauguração do Gigante da Pampulha.
 
A montagem do elenco campeão nacional começou ainda no ano passado. Com Jorge Sampaoli, vieram os primeiros reforços, mas o time bateu na trave, ficando em terceiro lugar e a três pontos do Flamengo, o campeão da principal competição do Brasil.

Nesta temporada, sob a batuta de Cuca, a consagração começou a partir do acréscimo de importantes nomes. Além de Hulk, chegaram o meia argentino Nacho Fernández, o atacante naturalizado espanhol Diego Costa e o zagueiro Nathan Silva, pilar de uma sólida defesa.

O Galo faz temporada de excelência. Na Libertadores, caiu invicto na semifinal, após dois empates com o Palmeiras. Campeão estadual, o alvinegro ainda pode alcançar a Tríplice Coroa. Isso porque disputa, nos dias 12 e 15 de dezembro, a  final da Copa do Brasil contra o Athletico-PR .

Tags: Galo Urina Atletico galobi