Atlético
1

ATLÉTICO

Cuca, sobre bi do Galo: 'Não era para mim, queria o título para esse povo'

Técnico do Atlético comemorou a conquista do Brasileirão no desembarque do elenco em BH

postado em 03/12/2021 01:49 / atualizado em 03/12/2021 03:40

(Foto: Leandro Couri/EM/DA Press)

"Não era para mim que eu queria o título. É para esse povo que precisava e, graças a Deus, nós conseguimos". Foi assim que o técnico Cuca avaliou a conquista do bicampeonato brasileiro pelo Atlético nesta quinta-feira (2/12), com  uma virada impressionante diante do Bahia, em Salvador. 





No desembarque do elenco no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, o comandante alvinegro também lembrou do lema "se não é sofrido, não é Galo". "Se fosse escolher um enredo, deveria ser dessa forma, sofrida", disse Cuca. O Atlético chegou a tomar dois gols no segundo tempo, antes de conseguir a virada. 

O técnico não deixou de avaliar que deixou a torcida à beira de um ataque de nervos antes de conseguir a vitória. "Imagino como o pessoal estava nervoso nos bares daqui, quando perdíamos por 2 a 0", finalizou Cuca.








Festa em preto e branco: Atlético campeão brasileiro

 
A vitória contra o Bahia, na Fonte Nova, sacramentou o bicampeonato brasileiro do Atlético - aguardado  há 50 anos, desde 1971, quando o alvinegro conquistou a primeira edição  do atual formato da competição. O triunfo no Nordeste levou o Galo aos 81 pontos, com 75% de aproveitamento, e portanto, não pode mais ser alcançado pelo Flamengo, que chega no máximo a 79 pontos. 
Mesmo com a pandemia do novo coronavírus ter impedido a presença constante da torcida, o Galo garantiu o  recorde de presentes no Mineirão, desde a reabertura do estádio, em 2013 . Isso porque o público foi liberado para os nove últimos compromissos do Atlético disputados em BH, nos quais foi registrada uma média de aproximadamente 40 mil.
 
Na vitória por 2 a 0 sobre o Juventude, três rodadas atrás, os alvinegros alcançaram 61.476 presentes, a maior marca desde a reinauguração do Gigante da Pampulha.
 
A montagem do elenco campeão nacional começou ainda no ano passado. Com Jorge Sampaoli, vieram os primeiros reforços, mas o time bateu na trave, ficando em terceiro lugar e a três pontos do Flamengo, o campeão da principal competição do Brasil.

Nesta temporada, sob a batuta de Cuca, a consagração começou a partir do acréscimo de importantes nomes. Além de Hulk, chegaram o meia argentino Nacho Fernández, o atacante naturalizado espanhol Diego Costa e o zagueiro Nathan Silva, pilar de uma sólida defesa.

O Galo faz temporada de excelência. Na Libertadores, caiu invicto na semifinal, após dois empates com o Palmeiras. Campeão estadual, o alvinegro ainda pode alcançar a Tríplice Coroa. Isso porque disputa, nos dias 12 e 15 de dezembro, a  final da Copa do Brasil contra o Athletico-PR .

Tags: galo atlético torcida campeões brasileiro cuca festa brasileiros confins recepciona praça sete atleticomg seriea sede de lourdes galobi