Cruzeiro

CRUZEIRO

Eliminação na Copa do Brasil compromete contas do Cruzeiro para a sequência de 2019

Clube garantiria, pelo menos, mais R$ 21 milhões em caso de classificação

postado em 04/09/2019 23:35 / atualizado em 05/09/2019 01:19

<i>(Foto: Ricardo Duarte/Internacional)</i>

eliminação na semifinal da Copa do Brasil para o Internacional prejudica as finanças do Cruzeiro para a sequência de 2019 e pode impactar no planejamento de 2020. Além de ter a meta de ser tricampeão frustrada, o clube tentava avançar à decisão para garantir, pelo menos, mais R$ 21 milhões em premiação. A equipe celeste, que já havia perdido por 1 a 0, no jogo de ida, no Mineirão, foi goleada por 3 a 0 no Beira-Rio e se despediu do torneio mata-mata.

Com gastos elevados, a diretoria celeste enfrenta problemas financeiros neste ano. Justamente por isso, a classificação à final era vista como uma das saídas para quitar pendências e manter os salários em dia. Nesta edição da Copa do Brasil, o campeão da Copa do Brasil receberá R$ 52 milhões.

Sem a premiação, o Cruzeiro terá que buscar alternativas. Em entrevista ao Superesportes na terça-feira, véspera do jogo com o Inter, o diretor de controladoria e finanças do clube, Flávio Pena, citou que uma eliminação exigiria a busca de receitas extraordinárias junto a patrocinadores. “Já estamos programados em relação a isso. Temos tanto o plano A quanto o B”.

Apesar de a atuação gestão ter como marca os altos salários, Pena afirmou que o Cruzeiro já começou a planejar a política de “austeridade financeira” visando ao ano de 2020 e espera depender menos de receitas variáveis, como são os casos das premiações de torneios. Além disso, existe o objetivo de enxugar despesas.

Ainda de acordo com Pena, o clube já reduziu a folha salarial do elenco em 17% com saídas de jogadores e mudança de comissão técnica. O diretor preferiu não revelar o gasto geral com remunerações.

Na Copa Libertadores 2019, o Cruzeiro foi eliminado pelo River Plate nas oitavas de final, com derrota nos pênaltis por 4 a 2, depois de empates por 0 a 0 nos jogos de ida, no Monumental de Núñez, e volta, no Mineirão. A participação na disputa continental rendeu US$ 4,05 milhões (R$ 16,8 milhões na cotação atual).
 
Em meses anteriores, algumas negociações ajudaram a Raposa a equilibrar o caixa e colocar os salários em dia. O clube vendeu o zagueiro Murilo (R$ 8,1 milhões, ao Lokomotiv Moscou-RUS)o atacante Raniel (R$ 13 milhões, ao São Paulo) e o volante Lucas Romero (R$ 8,8 milhões, ao Independiente-ARG). Também deixaram a Toca o volante Lucas Silva e o meia Rafinha.
 
No balanço financeiro de 2018, o Cruzeiro contabilizou arrecadação de R$ 383 milhões, um ganho de 24,4% em relação aos R$ 308 milhões de 2017. Em contrapartida, a dívida geral saltou de R$ 384 milhões para R$ 520 milhões - alta de 35,5%. Em meio ao crescimento do déficit, dirigentes do clube passaram a ser investigados pela Polícia Civil e pelo Ministério Público por suspeitas de irregularidades na administração. As denúncias inviabilizaram até mesmo um empréstimo de R$ 300 milhões de um fundo internacional, que serviria para quitar dívidas em curto prazo.

Tags: cruzeiro internacional interiormg copadobrasil eliminação