Futebol Nacional

FINAL DA LIBERTADORES

Presidente da Conmebol responde à CBF e ratifica final da Libertadores no Mineirão

Atlético contou com a ajuda da CBF para mudar local da partida, mas não teve êxito

postado em 16/07/2013 13:53 / atualizado em 16/07/2013 20:01

Site oficial da Conmebol

Nem com a ajuda da CBF o Atlético conseguiu mudar o local da finalíssima da Copa Libertadores para o Independência. O presidente da Conmebol, Eugenio Figueredo, ratificou nesta terça-feira - por meio da comunicado oficial a José Maria Marin -, que a decisão da competição será no Mineirão. O mandatário da Confederação Brasileira de Futebol chegou a enviar uma carta solicitando a transferência do jogo decisivo entre Atlético e Olímpia para a Arena do Horto, mas o pedido foi negado.

Durante toda a disputa da Libertadores, o presidente Alexandre Kalil disse que buscava brechas no regulamento para mandar a decisão no Horto. Na última semana, o Galo recebeu o apoio da CBF, no qual o presidente José Maria Marin confirmou o envio de uma carta à entidade. Porém, a solicitação não foi aceita e as justificativas foram apresentadas no comunicado de Eugenio Figueredo.

O regulamento da Libertadores prevê que o palco da decisão tenha capacidade mínima para 40 mil pessoas. O imbróglio começou com a marcação do jogo de ida no Defensores del Chaco, que tem capacidade permitida para 36 mil espectadores. Estádio com maior capacidade de público no Paraguai, o local foi confirmado pela Conmebol para o jogo de ida. A intenção do Atlético era contar com a mesma exceção no Independência, que comporta 23.018 torcedores, mas o clube não convenceu os dirigentes da entidade sul-americana.

A favor do estádio em Assunção conta a capacidade total, embora não seja utilizada por normas de segurança. De acordo com a Associação Paraguaia, o Defensores del Chaco tem 40.759 lugares, fato que não ocorre no Independência. Essa foi a justificativa apresentada pela Conmebol para ratificar o jogo de volta no Mineirão, que pode receber até 62.160 torcedores no dia 24 de julho.

Veja o comunicado do presidente da Conmebol (na íntegra)

Estimado Presidente e amigo,

Fazemos referência à sua nota no dia de ontem, onde fez menção às partidas finais da Copa Bridgestone Libertadores de América, e aos estádios onde serão disputados os encontros, entre as equipes de Olimpia do Paraguai e Atl. Mineiro do Brasil.
A respeito lhe comunicamos, que conforme a informação que contamos na CONMEBOL, solicitada à Associação Paraguaia de Futebol, o Estádio Defensores del Chaco conta com 40.759 lugares, discriminados devidamente, conforme carta adjunta à esta entidade, adequando-se portanto às normas regulamentares para uma partida final.

Cabe ressaltar que o Estádio Defensores del Chaco já foi sede em várias oportunidades de partidas finais deste mesmo torneio e Eliminatórias da Copa Mundial da FIFA.

Enquanto à razão pela qual a CONMEBOL determinou que a partida de volta seja disputada no Estádio Mineirão, e não na Arena Independência, é simplesmente porque o citado estádio cumpre com os requisitos estabelecidos no regulamento (Art. 9.4) quanto à capacidade para uma partida final (40.000 pessoas), em relação à capacidade inferior do Estádio Arena Independência (23.000 pessoas).

Espero que seja compreendido que a posição institucional que fundamentamos está seguindo o regulamento vigente e, principalmente, a fim de dar maior brilho e realce ao evento decisivo do torneio mas importante da CONMEBOL.
Com o apreço de sempre,

Eugenio Figueredo
Presidente


Tags: gc futinternacional gc libertadores atlético olimpia final