Cruzeiro

CRUZEIRO

Coronavírus: diretor do Cruzeiro analisa 'novo normal' no futebol e vê 'efeito favoritismo' reduzido em 2020

Drubscky comentou mudanças que o esporte sofrerá em função da COVID-19

postado em 04/07/2020 06:00 / atualizado em 04/07/2020 02:34

(Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)
Diretor de futebol do Cruzeiro, Ricardo Drubscky também é um estudioso do futebol. O profissional já publicou ‘O Universo Tático do Futebol’ (Editora Health, 2003) e coordena, com alguma frequência, cursos sobre o esporte na CBF Academy. Em entrevista ao Superesportes/Estado de Minas, ele analisou o ‘novo normal’ no futebol em meio à pandemia do novo coronavírus. 

Drubscky comemorou a possibilidade de jogos não serem realizados, necessariamente, na cidade do mandante. A ideia surgiu na última reunião da Comissão Nacional de Clubes em função do momento específico vivido por cada cidade no trabalho de combate à COVID-19. 

“Coisas que saíram da reunião (da Comissão Nacional de Clubes), da possibilidades de, por exemplo, o mando de campo do Cruzeiro, só para ficar no nosso terreiro, mas se a cidade não oferece condições, o Cruzeiro vai jogar em outra cidade, outra sede. Onde for permitido jogar. É o Cruzeiro que vai deslocar. Eu achei a ideia interessante, porque um país continental como é o Brasil, vamos ter quadros distintos para todos os lados”, disse.

O executivo avaliou que essa medida, somada a outras, como os estádios vazios nos próximos meses, reduzirá o efeito do favoritismo. “Jogos sem torcida, o efeito do favoritismo vai ser reduzidíssimo. São tantas as possibilidades…”, complementou.

'Novo normal'

Drubscky falou sobre o ‘novo normal’ após ser questionado sobre o local em que o Cruzeiro deverá mandar suas partidas no momento em que o calendário for reiniciado. Com o custo alto do Mineirão, especialmente em partidas sem renda, há possibilidade de o clube celeste transferir seus duelos para a Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, ou mesmo para o Sesc Venda Nova, na região Norte de Belo Horizonte.

Inicialmente, a ideia da Federação Mineira de Futebol (FMF) é que o Estadual possa ser retomado em 26 de julho. A entidade ainda aguarda autorização do Governo de Minas Gerais. Prefeito de Belo Horizonte, o ex-presidente do Atlético, Alexandre Kalil, indicou ao Superesportes que não permitirá a realização de confrontos na capital.

"Eu vou contratar, já que vocês estão insistindo tanto, eu vou chamar um pai de santo e um astrólogo para responder as perguntas. Desculpa as meninas da mesa, desculpa, mas nós temos que parar de cagar regra, gente. É simples assim, ué. Está todo mundo cagando regra. De onde é que ele (FMF) tirou o dia 26? Ele foi para o hospital, ele sentou com os virologistas, ele fez um curso, escolheu o dia 26? Tirou da onde, de onde ele pariu essa data? Ah, nem", reclamou o prefeito.

Balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) nessa sexta-feira (3) apontou 1.110 mortes e 53.351 infectados pela COVID-19 em Minas Gerais. Epicentro da pandemia no estado, Belo Horizonte acumula 157 mortos e 6.976 contaminações. O novo coronavírus já se alastrou por 83,8% das cidades mineiras.

A entrevista

Ricardo Drubscky concedeu entrevista exclusiva ao Superesportes/Estado de Minas. Na conversa, o diretor de futebol do Cruzeiro falou sobre a rotina de trabalho, o retorno aos treinamentos, a expectativa de reinício do calendário, o planejamento para 2020, entre outros temas. As reportagens serão publicadas ao longo dos próximos dias. Veja o que já escrevemos:

Tags: Cruzeiro serieb interiormg futnacional