Empolgado, mecenas explica gestão e põe prazo para Atlético ser sustentável

Ricardo Guimarães explicou mudanças na administração do Galo

17/09/2021 11:00 / atualizado em 17/09/2021 11:48
compartilhe
Ricardo Guimarães mostrou otimismo com o projeto do Atlético
foto: Humberto Martins

Ricardo Guimarães mostrou otimismo com o projeto do Atlético

Ex-presidente e hoje mecenas do Atlético, Ricardo Guimarães mostrou empolgação com o momento vivido pelo clube. Em entrevista ao 'Fala Galo' no Youtube, o empresário explicou as mudanças de gestão e prometeu uma equipe sustentável em 2026, três anos após a inauguração da Arena MRV

Guimarães começou explicando que esta fase de investimento só foi possível graças ao dinheiro de Rubens e Rafael Menin, que emprestaram um montante ao clube sem cobrar juros e sem estipular uma data para o Atlético fazer o pagamento.

"O fluxo financeiro vindo do Rubens e do Rafael fez o Atlético mudar de perspectiva, nós planejadamente sabíamos que no curto prazo íamos aumentar o endividamento do Atlético, mas se é que existe isso, se é que eu possa falar isso, está sendo aumentado o endividamento benigno, é um endividamento sem juros. Quando você tem que endividar, o juros do Brasil é um juros muito caro, o juros bancário é muito caro. Muitas vezes, você nem teve retorno e está desembolsando para pagar as prestações, acaba que você não tem dinheiro e toma outro empréstimo para pagar o empréstimo, isso vira uma bola de neve, isso é prejudicial. O que nós fizemos, conseguimos graças ao Rubens e ao Rafael, conseguimos um fluxo financeiro, que ele não tem endividamento nem juros, ele não tem prazo para pagamento, ele está no fim da fila, o Atlético pagará quando puder. Eles aceitaram as condições do Atlético que é 'devo, não nego, pago quando puder'", disse Guimarães. 

Ricardo Guimarães rechaçou comentários críticos ao sistema de mecenato no clube e frisou que o projeto será consolidado em 2026. "O que está acontecendo no Atlético é muito sério, não tem aventura nenhuma. A gente vê comentários tentando ver um lado negativo, mas não, o projeto está bem embasado, a gente sabe o que está fazendo, ele vai ser consolidado em 2026. E nosso grande diferencial foi o fluxo financeiro. E ele foi encabeçado quase 100% pelo Rubens e pelo Rafael. São abnegados e têm um trabalho bem pensado. O Atlético que está aí veio para ficar, estamos começando a viver um ciclo virtuoso, vamos ter um Atlético sustentável", garantiu.

O ex-presidente ainda disse que foi instalada no clube uma visão empresarial para a gestão do futebol e dos outros departamentos. Ele explicou as mudanças. "Nós passamos a gerir o Atlético de maneira empresarial, cortamos quase que na carne, tiramos as gorduras todas, tiramos aquilo que estava sugando o clube. Infelizmente, tivemos que demitir funcionários, saíram quase 300 pessoas. O Atlético continua vivendo e tendo as suas responsabilidades administrativas. O clube tem uma situação responsável para melhorar em 2023, 2024, 2025 e vai ter o reflexo final em 2026, ano em que o Atlético vai ser sustentável", disse 

"O Atlético não vai depender em nada do dinheiro de terceiros, nem do Rubens, nem do Rafael, nem de outro qualquer investidor. O Atlético vai gerir ele próprio o seu dinheiro. É isso que a gente está fazendo, um Atlético sustentável. É por isso que eu afirmo com muita alegria que este é um momento inicial, estamos apenas vivendo um início, coisas muito melhores, muito maiores, estão para chegar. A gente não pode prometer título, nem falar que vai ganhar, mas o Atlético vai estar competindo nas melhores condições, então é empolgante isso, animador falar sobre isso", completou.

500 dias de Arena MRV: veja fotos do estádio do Atlético



Compartilhe