América

CAMPEONATO MINEIRO

Lisca analisa vitória do América e explica estratégia para superar marcação do Coimbra

Melhor no jogo, Coelho venceu por 2 a 0 e assumiu liderança do Mineiro

postado em 17/02/2020 23:24

(Foto: Juarez Rodrigues/EM D.A Press)
Com um futebol de muitas trocas de passe e movimentações constantes dos jogadores, o América venceu o Coimbra por 2 a 0, nesta segunda-feira, no Independência, pelo complemento da sexta rodada do Campeonato Mineiro. O técnico Lisca analisou o resultado que colocou sua equipe na liderança isolada, com 14 pontos. Segundo ele, a atuação do adversário no empate com o Atlético por 0 a 0, pela terceira rodada, foi tomada como referência.

“A gente tirou como base para essa partida o jogo em que eles enfrentaram o Atlético Mineiro. Foi bem parecido. Nós passamos isso para os jogadores desde quando começamos a nos preparar”, disse o treinador, comentando na sequência a estratégia de apostar nas beiradas de campo para superar as linhas de marcação do Coimbra.

“Achamos espaços nas ‘entrelinhas’, fizemos avaliações de triangulações na beirada. Ora Ademir por dentro, Diego passando e Juninho na base. Ora Ademir aberto, Diego na base e Juninho se enfiando no corredor à direita. O Coimbra tinha uma linha de quatro e uma de cinco, o Thalis vinha jogar de primeiro volante. Uma proposta que deixa pouco espaço entrelinhas, com pouca situação de pivô. Você tem que ser muito assertivo na combinação, na penetração e no passe”, complementou Lisca.

No primeiro tempo, o América criou sete oportunidades. Em três, o goleiro Glaycon fez boas defesas. Somente aos 40 minutos é que Felipe Augusto, após assistência de Rodolfo, abriu o placar no Horto. Na opinião de Lisca, o gol ‘quebrou’ a estratégia defensiva do técnico Diogo Giacomini, que precisou adiantar o time no segundo tempo. A partir dali, o Coelho encontrou mais espaços e fez 2 a 0 com o meia Alê, aos 21 minutos. O placar só não ficou mais dilatado porque Rodolfo desperdiçou um pênalti.

“Sabíamos que o Giacomini ia ter que abrir o time. Ele veio com um 4-4-1-1, sem tanta compactação e ajudas entrelinhas. No início do segundo tempo eles nos atrapalharam um pouco, tiveram uma falta perigosa quando estávamos com um a menos, o Eduardo tinha saído por causa de uma pancada na cabeça. Depois voltamos a controlar o jogo, os espaços ficaram mais generosos, fizemos o segundo gol e tomamos conta da partida. Tivemos ainda a chance do pênalti para fazer o terceiro gol. A circulação ficou muito boa, trocamos de ritmo, sem precisar acelerar tanto. As combinações voltaram a entrar, fica só a lamentação de não ter ampliado”.

Para permanecer na primeira posição do Mineiro, o América torce por empate entre Tombense (3º, com 11) e Cruzeiro (5º, com 11), que se enfrentam na quinta, às 19h15, no Estádio Almeidão, em Tombos, em jogo atrasado da segunda rodada. O próximo compromisso do Coelho será justamente diante do Tombense, no sábado, dia 29 de fevereiro, às 16h, no Independência.