Atlético

ATLÉTICO

Sob protestos de torcedores, Atlético leva virada da Caldense e vê crise aumentar

Equipe alvinegra perdeu para o time do interior em pleno Independência

postado em 10/02/2018 18:30 / atualizado em 10/02/2018 21:45

Ramon Lisboa/EM/D.A. Press

No primeiro jogo sem o demitido Oswaldo de Oliveira, o Atlético não conseguiu superar a Caldense em pleno Independência. A equipe alvinegra - comandada pelo auxiliar Thiago Larghi, que promoveu cinco alterações em relação ao time que entrou em campo pela Copa do Brasil - até abriu o placar, mas levou a virada no final da partida e perdeu por 2 a 1. O revés, em jogo válido pela sexta rodada do Campeonato Mineiro, contou ainda com protestos de torcedores, que chamaram o time de ‘sem vergonha’.

O primeiro tempo foi bastante movimentado. Ricardo Oliveira abriu o placar após bela jogada de Erik. ‘De costas’, Neílson encobriu o goleiro Victor para empatar. O segundo tempo teve domínio alvinegro. Os donos da casa, entretanto, tiveram dificuldades de criar e não conseguiram marcar. Na reta final da partida, Potita garantiu a virada para a Caldense.

O Atlético vive um momento de instabilidade. Dentro de campo, o time ainda não embalou. São sete jogos no ano, com duas vitórias, três empates e duas derrotas. Fora dele, a diretoria tenta lidar com as polêmicas derivadas do 'entrevero' entre Oswaldo de Oliveira e o repórter Léo Gomide, durante entrevista coletiva em Rio Branco, no Acre. O clube alvinegro busca um treinador. A expectativa é que o novo comandante assuma o cargo até terça-feira.

O resultado faz com que o Atlético cai da terceira para a quarta posição, com nove pontos. A Caldense, por sua vez, sobe para seis pontos e assume o 10º lugar.

O Atlético volta a campo a partir das 17h (de Brasília) do próximo domingo (18), no duelo contra o América. A expectativa da diretoria é que o substituto de Oswaldo de Oliveira já comande o time no clássico, marcado para o Independência. No mesmo dia, mas uma hora antes, a Caldense recebe o Patrocinense, no Ronaldão.

Primeiro tempo movimentado


O jogo começou movimentado e com chances para os dois lados. Logo aos cinco minutos, a zaga alvinegra deu bobeira e permitiu uma chance clara de gol a Neílson. Já na pequena área, o camisa 9 da Caldense recebeu livre, mas finalizou fraco. Victor fez grande defesa e salvou o Atlético.

Os donos da casa abusavam dos passes errados, mas, mesmo assim, conseguiam criar oportunidades. Nos minutos seguintes, o Atlético chegou com perigo em lances com Erik e Otero. Teve até gol de Ricardo Oliveira - bem anulado pela arbitragem, que assinalou impedimento.

A frustração do centroavante, entretanto, não durou muito. Aos 27, Erik fez bela jogada em lance de velocidade, puxou a marcação de três adversários e encontrou Ricardo Oliveira do lado direito do ataque. O camisa 9 finalizou firme, cruzado, e bateu o goleiro Omar: 1 a 0.

A partir daí, o Atlético passou a ter um controle mais tranquilo da partida. Chegou a criar oportunidades, mas não conseguiu ser tão incisivo quanto no começo. A Caldense tinha dificuldades para atacar. Na única chance que teve na segunda metade da etapa inicial, entretanto, foi fatal. Após cruzamento da esquerda, Neílson se antecipou, venceu disputa com Felipe Santana e desviou de costas para encobrir o goleiro Victor: 1 a 1.

No finalzinho do primeiro tempo, o Atlético teve uma boa oportunidade para passar à frente no marcador. Otero bateu falta colocada, mas parou no goleiro Omar.

‘Castigo’ no fim

Como era de se esperar, o Atlético manteve o controle do jogo no segundo tempo. O time alvinegro criou três boas oportunidades em jogadas de bola aérea logo no começo. Erik, duas vezes, e Ricardo Oliveira não conseguiram marcar de cabeça.

Em busca de alternativas, os pontas Erik e Otero trocaram de posição em certos momentos da partida. Apagado durante todo o tempo em que ficou em campo, Cazares foi substituído por Luan, que tem atuado centralizado em 2018. As dificuldades, entretanto, persistiram.

O Atlético até conseguia trocar passes, mas parou de levar perigo ao gol da Caldense. Os visitantes, por outro lado, tentavam reduzir a intensidade da partida. O tempo foi passando e, consequentemente, a torcida alvinegra ficou mais apreensiva.

Já na reta final da partida, o ‘castigo’ do Atlético. A Caldense puxou um belo contra-ataque, trocou passes e chegou à virada com Potita - o substituto de Neílson. Pressionados, os jogadores alvinegros ouviram gritos de protesto dos torcedores. No fim das contas, triunfo do time do interior.

ATLÉTICO 1 X 2 CALDENSE
 
ATLÉTICO
Victor; Carlos César, Iago Maidana, Felipe Santana e Fábio Santos; Adilson e Elias (Carlos, aos 41 minutos do segundo tempo); Otero (Marco Túlio, aos 30 minutos do segundo tempo), Cazares (Luan, aos 19 minutos do segundo tempo) e Erik; Ricardo Oliveira.
Técnico: Thiago Larghi
 
CALDENSE
Omar; Feijão, Marcelo, Robinho (Carlinhos, no intervalo) e Jhonathan; Jean, Arilson e Fernandinho (Charles, aos 20 minutos do segundo tempo); Juninho, Anderson e Neílson (Potita, aos 25 minutos do segundo tempo).
Técnico: Roberto Fonseca
 
Gols: Ricardo Oliveira, aos 27 minutos do primeiro tempo (ATL); Neílson, aos 38 minutos do primeiro tempo, e Potita, aos 39 minutos do segundo tempo (CAL)
Cartões amarelos: Adilson, aos 7 minutos do primeiro tempo e Cazares, aos 7 minutos do segundo tempo (ATL); Jhonathan, aos 24 minutos do primeiro tempo; Feijão, aos 7 minutos, Juninho, aos 46 minutos e Omar, aos 47 minutos do segundo tempo (CAL)

Motivo: 6ª rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Independência, em Belo Horizonte
Data e horário: sábado, 10 de fevereiro, às 16h30 (de Brasília)

Árbitro: Ronei Cândido Alves (CBF)
Assistentes: Douglas Almeida Costa (CBF) e Marcyano da Silva Vicente (CBF)

Público: 17.619 torcedores
Renda: R$ 137.326,00

Tags: campeonato mineiro caldense futnacional interiormg atleticomg