Atlético

CAMPEONATO BRASILEIRO

Atlético perde por 2 a 1 para o Botafogo no Rio e chega à quarta derrota consecutiva na Série A

Vermelho recebido por Igor Rabello prejudica o plano de jogo do Galo; Diego Souza e Alex Santana aproveitam a vantagem numérica e marcam para os donos da casa

postado em 08/09/2019 17:49 / atualizado em 08/09/2019 18:53

<i>(Foto: Bruno Cantini/Atlético)</i>
Com um jogador a menos desde a expulsão de Igor Rabello
, no fim do primeiro tempo, o Atlético foi derrotado por 2 a 1 pelo Botafogo, neste domingo, no Rio de Janeiro, em jogo válido pela 18° rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. Diego Souza e Alex Santana, para os cariocas, e Franco Di Santo, para o Galo, marcaram os gols do confronto. O resultado ampliou a sequência negativa do Galo no torneio, fazendo a equipe chegar à quarta partida seguida com derrota.

Diego Souza, cobrando pênalti marcado com a ajuda do VAR, nos acréscimos da etapa inicial, e Alex Santana, aos 20 minutos do segundo, colocaram o Botafogo à frente. No apagar das luzes, o argentino Di Santo diminuiu o marcador, aproveitando passe de Vinícius. O meio-campista escorou cruzamento vindo do lado direito e a bola ficou livre para o centroavante anotar seu primeiro tento pelo novo clube.

O revés fez o Atlético cair para o 8° lugar, estacionado nos 27 pontos. O Botafogo, por outro lado, chegou aos 26 pontos, subiu para a 10° posição e encostou no rival deste domingo.

Início promissor

O Atlético começou a partida no ataque. Logo aos três minutos, a primeira chance: em uma combinação entre Cazares e Fábio Santos, o lateral cruzou rasteiro. Marcelo Benevenuto apareceu para cortar e, na tentativa de afastar o perigo, quase marcou contra o patrimônio. Aos 12', o equatoriano recebeu na esquerda, conduziu a bola em direção ao meio e, de fora da área, mandou rente à trave. Quatro minutos depois, foi a vez de Vinícius tentar de longe, mas a bola foi por cima do gol.

O Botafogo respondeu no minuto 22. Marcinho cobrou falta à meia altura, da intermediária. Cícero se abaixou para cabecear e mandou por cima.

Três minutos depois, o Galo trabalhou a bola com paciência. Fábio Santos mandou na medida para Ricardo Oliveira. Da primeira trave, o centroavante viu seu desvio não balançar as redes por conta de leve toque do goleiro Diego Cavalieri. O árbitro catarinense Bráulio da Silva Machado, no entanto, marcou tiro de meta.

Aos 29', a primeira defesa de Wilson com a camisa do Atlético. Lateral de origem, mas atuando como meia aberto pela direita, Marcinho carregou a bola desde o círculo central e, da entrada da área, arriscou finalização cruzada. A bola saiu dos pés do botafoguense queimando a grama, resvalou em Réver e obrigou o camisa 84 a espalmar para o lado.

Lesão de Jair muda história do jogo

O jogo recém havia passado do minuto 30 quando Jair, sozinho, se contundiu e precisou ser substituído. Sem Ramón Martinez, convocado pela Seleção Paraguaia, Rodrigo Santana colocou Zé Welison. O volante foi, justamente, um dos protagonistas da jogada que gerou um pênalti para o Botafogo. 
 
Zé Welison perdeu a bola na intermediária ofensiva e, no contragolpe, Igor Rabello precisou parar com falta o lance e acabou amarelado. A cobrança parou na mão do defensor, que estava na barreira. A jogada seguiu, mas quando a bola parou de rolar, o árbitro foi ao monitor à beira do campo e, após verificar o lance, assinalou a penalidade. Rabello recebeu o cartão vermelho e, na cobrança, Diego Souza abriu o placar.

Prejuízo triplo para o Galo que, além do gol sofrido e da expulsão, precisou gastar a segunda substituição ainda no primeiro tempo para recompor a defesa. Sobrou para Ricardo Oliveira, que deu lugar a Leonardo Silva

No fim, Vinícius, de longe, fez Cavalieri se esticar todo para ceder escanteio ao Galo. 

Antes do primeiro minuto do segundo tempo, o Botafogo voltou ao ataque. Marcinho, de cavadinha, encontrou Diego Souza. O veterano foi parado por Wilson, que saiu do gol e abafou o chute. Desligado, o Atlético cedeu nova chance aos rivais pouco depois, com João Paulo. O meia bateu para fora, da entrada da área, em jogada que só foi possível graças a um belo corta-luz de Alex Santana.

Sem um jogador fixo no ataque, coube ao Atlético apostar na velocidade de Cazares e Chará. Aos 8', o camisa 10 foi derrubado perto da grande área carioca e, na cobrança, fez Cavalieri espalmar. No escanteio, ele encontrou a cabeça de Leonardo Silva, mas o toque do zagueiro beijou a trave e saiu pela linha de fundo.

Eram os mandantes, entretanto, os donos da posse de bola e autores de mais chances de gol. Após belo passe de João Paulo, Luiz Fernando apareceu livre na área atleticana, mas foi impedido de marcar por Wilson, que foi aos pés do atacante rival para fazer a defesa.

O Galo, quando tinha a bola, precisava ter paciência para furar o bloqueio botafoguense. Foi assim que Elias conseguiu, dentro da área, chutar. Um desvio da defesa, contudo, fez a bola sair da direção do gol e ir pela linha de fundo.

O Atlético sabia da necessidade de manter a posse para não sofrer com contra-ataques, artifício usado pelo Botafogo para ampliar o placar aos 20'. A defesa alvinegra não foi páreo para a velocidade de Alex Santana que, cara a cara, com Wilson, mandou uma pancada, no alto, para estufar as redes e fazer 2 a 0.

Réver quase diminuiu, aproveitando novo tiro de canto cobrado por Cazares. A cabeçada do capitão atleticano chegou a encobrir Cavalieri, mas saiu por cima da trave. Na sequência, foi a vez de Patric, também aproveitando bola alta lançada pelo equatoriano, fazer o goleiro da Estrela Solitária trabalhar.

Cazares voltou a criar boa oportunidades aos 31'. Ele girou, levantou a cabeça e, pelo alto, encontrou Chará. O colombiano fintou a marcação e, sem deixar a bola cair, tocou por cima da meta adversária.

Acionado para substituir Chará, já na parte final do duelo, o argentino Franco Di Santo diminuiu o placar aos 47 minutos do segundo tempo. O centroavante aproveitou cruzamento do lado direito e, com tranquilidade, só teve o trabalho de mandar para o gol após passe de Vinícius.



BOTAFOGO 2 X 1 ATLÉTICO

BOTAFOGO
Diego Cavalieri; Fernando (Gustavo Bochecha, aos 13' do 2°T), Joel Carli, Marcelo Benevenuto e Gilson; Cícero, Alex Santana e João Paulo (Leonardo Valencia, aos 13' do 2°T); Luiz Fernando, Marcinho e Diego Souza (Vinícius, aos 31' do 2°T).
Técnico: Eduardo Barroca

ATLÉTICO
Wilson; Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Jair (Zé Welison, aos 34' do 1°T); Chará (Di Santo, aos 32' do 2°T), Elias, Vinícius e Cazares; Ricardo Oliveira (Leonardo Silva, aos 44' do 1°T).
Técnico: Rodrigo Santana

Gols: Diego Souza, aos 45' do 1°T e Alex Santana, aos 20' do 2°T (BOT); Franco Di Santo, aos 47' do 2°T (CAM).

Cartões amarelos: Réver, aos 35' do 1°T, Igor Rabello, aos 38' do 1°T e Fábio Santos, aos 37' do 2°T (CAM);  Joel Carli, aos 48' do 1°T, Fernando, aos 6' do 2°T,  Marcelo Benevenuto, aos 19' do 2°T, e Luiz Fernando, aos 37' do 2°T (BOT).

Cartão vermelho: Igor Rabello, aos 42' do 1°T (CAM)

Motivo: 18° rodada da Série A do Campeonato Brasileiro

Estádio: Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Bráulio da Silva Machado (FIFA/SC)

Assistentes: Kleber Lucio Gil (Fifa/SC) e Henrique Neu Ribeiro (SC)

Árbitro de vídeo: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)  

Assistentes de VAR:
 Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (PB) e Carlos Berkenbrock (SC)  
 
 
 

Tags: interiormg atlético botafogorj seriea futnacional