Atlético

ATLÉTICO

Atlético: Caetano fala em 'atrapalhar o mínimo' e foca na próxima temporada

Apresentado nesta sexta-feira, novo diretor de futebol alvinegro reforçou que, antes de promover mudanças, precisa fazer um diagnóstico do clube

postado em 08/01/2021 10:35 / atualizado em 08/01/2021 17:28

(Foto: Reprodução/TV Galo)
Rodrigo Caetano recebeu o primeiro contato oficial do Atlético na última segunda-feira. Na terça, arrumou as malas no Rio de Janeiro para, no dia seguinte, reunir-se presencialmente com dirigentes alvinegros em Belo Horizonte e assinar um contrato válido por dois anos. Na quinta, encontrou-se com o técnico Jorge Sampaoli e, na manhã desta sexta, foi apresentado oficialmente como novo diretor de futebol do clube. Ao longo da agitada semana, o ex-profissional do Internacional teve uma missão: iniciar o diagnóstico do departamento que comanda.

Aos 50 anos, Rodrigo Caetano assume o posto deixado pelo amigo Alexandre Mattos em meio à atribulada temporada de 2020, que, em razão da pandemia de COVID-19, terá fim apenas em fevereiro de 2021. Diante das adversidades do calendário, o novo dirigente atleticano frisou que o foco do trabalho recém-iniciado na Cidade do Galo são as competições que começarão ao fim do Campeonato Brasileiro. Segundo ele, a hora, agora, é de não atrapalhar o time que briga pelo título nacional.


“Estou numa imersão de muitas informações, não poderia ser diferente. E é isso o que tenho feito desde que cheguei, tanto na parte administrativa, como no departamento de futebol. O momento é de diagnóstico, de atrapalhar o mínimo possível, de ser notado neste momento o mínimo possível, porque o Galo está na disputa do título do Campeonato Brasileiro”, afirmou o dirigente, em entrevista coletiva remota na manhã desta sexta.

Em meio ao Campeonato Brasileiro de 2020, o diretor deu prosseguimento ao planejamento da temporada 2021, iniciado ainda com Alexandre Mattos. Alguns nomes já foram sondados pelo clube no mercado, como o do lateral-direito Luis Orejuela, do Cruzeiro. Rodrigo Caetano, porém, preferiu não comentar possíveis contratações.

“É o momento de, talvez de forma silenciosa, pensar e planejar a temporada de 2021, porque esta ainda é a temporada de 2020. Como eu disse, é pensar sobre depois de fevereiro, quando terminar o Campeonato Brasileiro. Até lá, é ser colaborativo ao extremo”, pontuou.

“Elenco: nós estamos planejando e discutindo. Já tivemos uma primeira reunião com o Sampaoli e a comissão técnica, mas no sentido de planejar a temporada de 2021 e não o final da temporada de 2020”, completou.


Mudança na base?


Ao longo da entrevista de apresentação, Rodrigo Caetano destacou seguidas vezes que o trabalho de um diretor de futebol não se limita a contratar jogadores, mas também pressupõe funções administrativas. E o dirigente terá, ainda nos primeiros dias do novo trabalho, de fazer uma avaliação das categorias de base alvinegras. Como foi adiantado pelo Superesportes, o órgão colegiado que administra o Atlético pensa em demitir o diretor Júnior Chávare.

Caetano, porém, desconversou sobre a eventual troca no comando da base. “Em relação a qualquer mudança, não tenho nem competência suficiente para fazer tal avaliação. Nós vamos buscar o maior número de informações possível para, aí sim, como o diagnóstico preciso, apresentar para o presidente e o órgão colegiado as nossas sugestões com um pouco mais de fundamentação em relação às informações. Então, não existe nenhuma negociação nem de saída, nem de chegada, de qualquer outro cargo, pelo menos no presente momento. Isso não é pauta neste momento, e sim planejar a temporada 2021”, garantiu.

Tags: galo atleticomg interiormg futnacional rodrigo caetano seriea