Atlético

ATLÉTICO

Agente cobra Atlético na Justiça após ser ignorado em tentativa de acordo

De acordo com André Cury, débito alcança valor de R$ 35 milhões

postado em 05/03/2021 17:30 / atualizado em 05/03/2021 18:19

(Foto: Bruno Cantini/Atlético)
Ao mesmo tempo em que recebe o aporte de conselheiros bilionários para realizar contratações, o Atlético lida com cobranças judiciais por acordos não cumpridos. Um dos requerentes é André Cury, empresário influente no mundo da bola. Segundo o portal UOL, o agente abriu 14 processos em razão de comissões pendentes de pagamento - dez na Câmara Nacional de Resoluções de Disputas da CBF (CNRD) e quatro em varas cíveis de Belo Horizonte. Os valores somados estão na casa de R$25 milhões.

Ao Superesportes, Cury explicou que os valores são ainda mais elevados. “Essa é uma primeira ação. Pelos meus cálculos, a dívida deve chegar em R$ 35 milhões com outras ações. Eu trouxe R$260 milhões em vendas para o Atlético. Disso, acho que não me pagaram nem 70% do que eu tinha para receber”.

O empresário citou as vendas do Atlético nas quais atuou como intermediário. “Tem operação de 2013 que ainda não recebi. Eu quero só receber o que eu tenho direito. Estamos falando em jogadores que brilharam pelo clube: Douglas Santos, Emerson, Lucas Pratto, Marcos Rocha, entre outros. A maioria deu lucro”.

André Cury revelou ainda que foi ignorado por pessoas próximas ao presidente Sérgio Coelho, casos dos conselheiros Rafael Menin e Renato Salvador, quando propôs parcelamento dos valores em 50 vezes. Adriana Cury, irmã e advogada do agente, também não obteve sucesso na tentativa de negociação com a diretoria alvinegra.

“Antes de entrar na Justiça, eu tentei acordo de todas as formas. Estive com o Rafael (Menin), com o Renato (Salvador), ofereci parcelamento de 50 vezes. Minha irmã, que é minha advogada, também buscou. Mas ninguém quer acordo, ninguém nunca me retornou com uma proposta. Por isso entrei a ação”.

O próprio Cury listou algumas transferências em que teve participação: Lucas Pratto (São Paulo), Emerson (Barcelona, da Espanha), Douglas Santos (Hamburgo, da Alemanha), Otero (Al Wehda, da Arábia Saudita), Maicosuel (São Paulo), Luan (V-Varen Nagasaki, do Japão) e Marcos Rocha (Palmeiras).

O UOL deu detalhes de outras transações. Na aquisição do zagueiro equatoriano Erazo, em 2016, o Galo se comprometeu a pagar US$272 mil a André Cury em duas parcelas de US$150 mil, em abril, e US$122 mil, em junho. O caso foi parar na Justiça após US$77 mil ficar em aberto. Em moeda nacional, a pendência é de mais de R$417 mil.

Em relação ao lateral-esquerdo Mansur - que fez apenas cinco jogos pelo time principal e hoje está no Santa Clara, de Portugal -, a defesa de Cury argumenta que o Atlético quitou apenas R$750 mil dos R$3,1 milhões referentes à cessão dos direitos federativos pela Link Assessoria Esportiva e Propaganda. O clube deve uma parcela de R$750 mil, duas de R$300 mil e outras duas de R$500 mil.

O Superesportes procurou o Atlético para comentar o assunto, mas até o momento não obteve resposta.

Tags: comissão empresário processo Justiça interiormg futnacional seriea André Cury