Atlético

ATLÉTICO

Cuca pede paciência, apoio ao grupo e fala em criar família no Atlético

Técnico garante que a mentalidade vencedora é a mesma de 2013 e que sonha com o bi da Libertadores

postado em 19/04/2021 19:52 / atualizado em 19/04/2021 20:24

(Foto: Pedro Souza/Atlético)

Em entrevista à TV Galo, nesta segunda-feira, na qual se dirigiu diretamente ao torcedor do Atlético, o técnico Cuca comentou sobre a pressão para ajustar o time e as críticas pelo desempenho neste começo de temporada. O treinador disse que o objetivo é trabalhar para criar uma 'família' no grupo e dar condições para que os atletas se adaptem o quanto antes ao estilo de jogo que pretende utilizar. 

Cuca citou os números alcançados neste começo de ano, com o Atlético já classificado às semifinais do Mineiro com a melhor campanha. E procurou afastar a pressão por um prazo para encontrar a formação ideal. Depois da derrota para o Cruzeiro, no Mineirão, ele foi questionado sobre a subida de produção do time a tempo da estreia na Copa Libertadores, diante do Deportivo La Guaira, nesta quarta-feira, na Venezuela. E assegurou que o torcedor veria evolução em dez dias. 

Na entrevista à TV Galo, no entanto, o técnico disse que não é possível prever quando haverá melhora, o que, segundo ele, ocorrerá com o desenvolvimento do trabalho, o que requer tempo. Cuca ainda relembrou os trabalhos vitoriosos no Palmeiras, campeão brasileiro em 2016, e no Santos, vice na Copa Libertadores do ano passado. E garantiu que veio para o Atlético com a mesma mentalidade vencedora de 2013, quando comandou o alvinegro na conquista do torneio continental. 



Veja trechos da entrevista de Cuca


Família Atlético e apoio

"Eu sei que não era o treinador preferido por parte de alguns torcedores, principalmente aqueles do mundo virtual. Mas hoje o torcedor tem que entender que sou eu quem está aqui e que eu vou tirar tudo do grupo em benefício do 'nós'. Temos uma chance boa de vencer a Libertadores se a gente criar uma família aqui. Criar uma família no futebol é muito mais complicado que definir um time. isso é o que mais quero, então quando a gente se autopressiona como fizemos agora, quando o time vai jogar, quando o time vai dar uma resposta, essas coisas a gente não tem uma data, um número para dizer a vocês." 

"O Galo tem dez jogos, ganhou oito e tem o melhor rendimento do Brasil, mas a gente está nos autopressionando muito. Ah, mas o Mineirão não é parâmetro, mas cada um disputa o seu campeonato e nosso parâmetro é esse."
 
"Então a definição de time que a gente tem, carências que a gente tem , tudo isso é discutido comigo e com o Rodrigo Caetano, para a gente ganhar. Mas não sou eu quem vai ganhar, não é o Rodrigo quem vai ganhar, somos 'nós', eu, ele, jogadores e vocês, torcedores. Para nós é importantíssimo quando os jogadores têm a confiança de vocês, mesmo que seja pela internet ou por faixas, como a gente tem recebido aqui." 

Trabalhos vitoriosos e tempo para ajustes

"A minha vinda para o Atlético foi em cima do que conquistei? Em parte sim, é bom lembrar que no ano passado eu fui eleito o melhor treinador da América do Sul. Vim pelo trabalho que fiz no Santos, no Palmeiras, no São Paulo, e vou repetir esse trabalho aqui no Galo, podem ter certeza. Mas não tem como, em um mês, eu ter agradado ao João e ao Paulo ao mesmo tempo. A escalação minha vai agradar ao João e desagradar ao Paulo. Mas estou aqui todos os dias e a gente tem conhecimento mais amplo de time para poder escalar os jogadores. E ao longo do ano, vamos usar todos que estão aqui e outros que virão dentro de um entendimento que a gente tem de carência no nosso time."

Novo estilo de jogo 

"O Galo era um time posicional, o meu estilo não é esse. Eu deixo o jogador rodar um pouco mais, dou liberdade maior para que flutuem nos espaços do campo, e muitas vezes o torcedor vai fazer uma comparação. Cada um tem um estilo, o meu estilo deu certo no Santos e aqui também, se Deus quiser, vai dar." 

"O elenco é novo, Marrony, Hulk, Keno, Vargas, Dodô, Savarino, Nacho, Zaracho, Alan Franco....são jogadores que estão entendendo hoje o que é o Atlético. Em 2012/23 também foi assim com Pierre, (Leandro) Donizete, Ronaldinho, Jô...Eles podem entender o que é o Galo no decorrer da estadia deles aqui. É preciso dar tempo ao tempo, os trabalhos vão exigir o que os jogadores tenham essa dinâmica. Eu gosto de marcar no ataque, roubar a bola no ataque, eu gosto de jogador sanguíneo, e isso requer um tempo para que eles entendam, e não comparar." 

Vontade de ganhar

"Além de palavras, a atitude nos treinamentos e jogos é que as coisas têm que andar. Então eu peço ao torcedor para que ele tenha paciência, pois o Cuca que está aqui hoje, é o mesmo Cuca que tinha vontade de ganhar em 2012, 2013. Se Deus quiser, em 2021 a gente vai ganhar de novo, mas com calma, paciência, passando para eles a responsabilidade que eles têm, entendendo algum percalço que normalmente virá ao longo do ano. Temos adversários fortíssimos, Palmeiras, São Paulo, Grêmio, Inter....hoje eu perguntaria ao torcedor se eles acham que o time está pronto, quanto tempo a gente precisa para fazer isso, se é necessário vir jogadores...São coisas que os resultados dos jogos é que vão nos dizer. Isso tudo é trabalho que será desnvolvido e ligado a resposta por eles."

Internet 'nervosa' 

"Tenho respondido a algumas perguntas e a gente vê que é exagerado, é precipitado, há uma certa ira em relação a tudo. Eu sei que o momento em que a gente vive é complicadíssimo, eu mesmo tenho a minha mãe na UTI, ela precisa de mim todos os dias, mas eu abro mão para estar aqui. Então como é que eu posso estar aqui com uma vontade menor de ganhar e de ser campeão? Se abro mão para estar aqui e que não é pelo lado financeiro... Então eu peço ao torcedor que nos ajude, compreenda e que confie na gente, para que no fim do ano a gente possa dar tudo o que esse grupo pode entregar. E tomara que isso seja suficiente para a gente sair ganhador." 

Tags: galo atlético técnico torcida cuca interiormg