Atlético

ATLÉTICO

Cobrado no Galo, Cuca reclama de entrevista: 'Está sendo um interrogatório'

Atlético sofreu para vencer o rebaixado Boa Esporte no Mineirão e vive momento irregular antes de estreia na Copa Libertadores

postado em 18/04/2021 19:09 / atualizado em 18/04/2021 19:27

(Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

Cobrado pelo desempenho irregular do Atlético nas últimas partidas, o técnico Cuca desabafou e reclamou das perguntas da imprensa durante a entrevista coletiva deste domingo, no Mineirão. Os questionamentos foram feitos após a vitória por 2 a 1 sobre o rebaixado Boa Esporte, em jogo da décima rodada da fase classificatória do Campeonato Mineiro.

Cuca foi perguntado o que tem sido mais difícil nesta trajetória na Cidade do Galo, reiniciada em 16 de março. O treinador não falou de questões táticas, técnicas ou físicas da equipe, pediu mais tempo para implementar seu estilo de jogo e reclamou da pressão exercida pela imprensa.

"Está sendo mais difícil de tudo vir aqui, as entrevistas (risos). Não está sendo uma entrevista, está sendo um interrogatório. É incrível. É uma pressão enorme que se tem", disse, antes de citar o revés por 1 a 0 no clássico para o Cruzeiro, no último domingo.

"É lógico, perdeu o clássico, mas será que se tivesse empatado o clássico teria uma cobrança desse tamanho em cima dos jogadores e do treinador, pedindo para o diretor já fazer avaliação do comando técnico? Vocês estão com muita pressa. Tenham mais calma um pouquinho", pontuou.


Prazo de 10 dias


Após a derrota no clássico, Cuca prometeu que o time estaria em melhores condições na estreia na Copa Libertadores, que ocorreria em dez dias. Uma semana se passou, e a primeira partida na competição continental está se aproximando: será na quarta-feira, às 19h, contra o Deportivo La Guaira-VEN, na Venezuela.

Questionado sobre o prazo estabelecido por ele mesmo no domingo passado, Cuca tratou de reduzir o impacto da declaração. "Eu não pedi dez dias. Vocês perguntam quando o time vai estar bem, e eu falei: 'Perdemos o clássico. Vocês me cobrem na Libertadores, me cobrem na sequência, que naturalmente o time vai desempenhar' O Atlético jogou dez partidas no ano e ganhou oito, sabe? É uma pressão enorme", afirmou.

No domingo passado, Cuca havia, sim, pedido esse prazo de dez dias para melhorar o time. "Me cobre daqui a 10 dias se o Atlético não vai estar pronto para a Libertadores", disse, na ocasião.

Neste domingo, o treinador foi muito questionado pelas mudanças na equipe e pela ausência do meio-campista Matías Zaracho, um dos destaques do início do Campeonato Mineiro, quando Cuca ainda não havia assumido o comando.

"Cada um tem a sua referência, mas a gente está aqui para responder vocês (da imprensa), para fazer vocês entenderem as ideias que a gente tem. É lógico que não vou conseguir fazer todos entenderem, mas o mais importante para mim é eu estar com as minhas ideias em ordem, porque vou ser cobrado pelos resultados, e não por agradar vocês por esse ou aquele jogador", disse.

Comparação com Sampaoli

Cuca também falou sobre as comparações com o estilo de jogo do Atlético de Jorge Sampaoli na última temporada. O atual treinador alvinegro pediu tempo para que consiga modificar o jeito de a equipe atuar.

"Eu tenho uma maneira diferente de trabalhar (em relação a Sampaoli). E foi assim lá no Santos também. Para que a gente desse uma diversificada, para o jogador ter uma movimentação maior, uma liberdade maior. Aqui, está acontecendo isso aos poucos. Sai de um processo, que era um processo com o jogador mais setorizado. Comigo, gosto que eles deem uma movimentada um pouco maior, até para fugirem da marcação do adversário", disse.

"Nós não conseguimos fugir da marcação do Cruzeiro. Quem sabe, se a gente tivesse movimentação um pouco maior, teria feito isso. É que as pessoas confundem às vezes a liberdade que o jogador tem para exercer uma outra função e trocar de posição, como a gente tem trocado, com ‘estar bagunçado’. Cada um tem uma maneira de observar", prosseguiu.

No fim da resposta, ironizou quem analisa taticamente pela TV: "Essas pessoas que veem isso a gente tem que tirar o chapéu, porque eles conseguem, da televisão, num quadrado assim, ver tudo isso aí. São uns caras diferenciados".

Desempenho neste domingo



A vitória por 2 a 1 sobre o Boa Esporte foi sofrida e se concretizou apenas aos 44 minutos do segundo tempo, em cobrança de pênalti de Guilherme Arana. Apesar do resultado - que garantiu a liderança do Mineiro -, o time foi alvo de questionamentos. Cuca, porém, se disse satisfeito com o desempenho.

"Eu, que presenciei o jogo, saio satisfeito com o desempenho do time. É lógico que você quer fazer mais gols. Nisso a gente não sai satisfeito, porque criamos muitas oportunidades. Parabéns ao goleiro adversário, que fez uma grande partida. Nós fomos ganhar lá no final. E se tivesse empatado eu ia falar a mesma coisa", pontuou.

"Eu sei que temos uma cobrança enorme em cima do investimento que foi feito. A gente tem uma cobrança enorme por estar jogando contra um time que estava praticamente rebaixado. Mas o futebol não é assim, que você tem maior investimento, o maior nome, vai entrar e ganhar ao natural. A vitória vai acontecer, mas vai ter que ter trabalho", prosseguiu.

"Ganhou de 2 a 1 hoje, mas o Galo ganhar de 2 a 1 não é bom, porque nós temos uma pressão enorme em cima do investimento, em cima de tudo. Mas a gente precisa considerar a vitória de 2 a 1 e o contexto do jogo. Eu não sou muito de pegar número, você nunca vai me ver defender número. Mas hoje, se você tem 70% de posse de bola, com 20 escanteios e mais de 20 finalizações, como você pode achar que você jogou mal porque você ganhou de 2 a 1 no final do jogo?", completou.

Tags: galo cuca atleticomg interiormg futnacional seriea libertadores2021