Atlético

CAMPEONATO MINEIRO

Antes da Libertadores, Atlético sofre, mas vence Boa e garante liderança

Em jogo com muitas mudanças táticas do técnico Cuca, time alvinegro não foi bem e abusou dos cruzamentos contra o frágil rival, rebaixado ao Módulo II

postado em 18/04/2021 17:54 / atualizado em 18/04/2021 18:33

(Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Não foi uma grande tarde de domingo para o Atlético no Mineirão. Contra o frágil - e agora rebaixado - Boa Esporte, o time do técnico Cuca abusou dos cruzamentos e sofreu muito para vencer, de virada, por 2 a 1, em partida válida pela décima (e penúltima) rodada da fase classificatória do Campeonato Mineiro. Foi a última partida antes da estreia na Copa Libertadores.

Tiaguinho abriu o placar para os visitantes aos 20 minutos do primeiro tempo. Pouco depois, Eduardo Vargas empatou para o Atlético. O gol da virada saiu quase nos acréscimos da etapa final, após marcação polêmica de pênalti, batido por Guilherme Arana.



Apesar do número alto de finalizações (mais de 20) indicarem um grande volume de jogo, não foi uma boa atuação da equipe alvinegra. Cuca modificou o time seguidamente ao longo da partida, mas ainda não conseguiu encontrar a formação ideal e nem um padrão tático.

Porém, com a vitória, o Atlético alcança os 24 pontos e garante a primeira colocação do Estadual com uma rodada de antecipação. Já o Boa Esporte se mantém com cinco, na vice-lanterna, e está matematicamente rebaixado ao Módulo II. Nesse sábado, o Coimbra foi o primeiro time a cair.

As equipes voltam a campo para a última rodada da primeira fase do Mineiro no próximo fim de semana. No sábado, a partir das 19h, o Atlético enfrenta o Athletic, na condição de visitante, no Independência. Domingo, às 16h, o Boa recebe a Caldense, no Melão, em Varginha.

Antes do jogo pelo Mineiro, o Atlético terá a estreia na Copa Libertadores. A equipe alvinegra debuta no torneio continental nesta quarta-feira, diante do Deportivo La Guaira-VEN, pelo Grupo H. A bola rola às 19h no Estádio Olímpico de Caracas, na Venezuela.

Dificuldade atleticana


Após a derrota por 1 a 0 no clássico contra o Cruzeiro, o técnico Cuca prometeu: o Atlético evoluiria até a estreia na Libertadores. E, no entendimento do treinador, o jogo deste domingo seria fundamental para esse processo. Por isso, nada de poupar titulares.

Em busca da formação ideal, o comandante alvinegro fez uma mudança significativa na formação: em vez dos costumeiros três atacantes, só dois (Keno e Vargas). Tudo para fortalecer o meio com Dylan Borreiro, que não jogava desde 13 de março. Ou seja, antes de Cuca assumir o time.

Apesar das mudanças, o Atlético não embalou no primeiro tempo. A equipe tinha a bola por muito mais tempo que o adversário, mas abusava dos cruzamentos na área e encontrava dificuldades para vencer a marcação por baixo.

Defensivamente, os donos da casa pouco sofriam. Mas o segundo pior ataque do Estadual foi capaz de superar a marcação atleticana e abrir o placar aos 20 minutos.

Com o irregular auxílio do braço, Jefferson ganhou dividida com Junior Alonso. A jogada sobrou para Dieguinho, que, de fora da área, finalizou na trave. No rebote, a bola tocou nas costas do goleiro Everson e sobrou para Tiaguinho, livre, só empurrar para as redes.

Daí em diante, a retranca do Boa aumentou. Com isso, o Atlético passou a cruzar ainda mais bolas para a área. Numa delas, Vargas completou de “puxeta” para o gol, mas o lance foi invalidado por impedimento.

Aos 29 minutos, a insistência pelo alto, enfim, deu resultado. Arana cruzou no segundo pau para Junior Alonso, que desviou para a pequena área. Vargas amorteceu a bola para tirar o goleiro Carlos Miguei da jogada e tocou para o gol: 1 a 1. Daí em diante, o Atlético finalizou mais vezes com perigo, mas parou no arqueiro rival.

(Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

Mudanças táticas, mas falta de criatividade


Cuca resolveu mandar o Atlético à frente no segundo tempo. Na lateral direita, fez uma troca “protocolar”, com a entrada de Mariano na vaga de Guga, que falhou no gol do Boa. A outra mudança foi ousada: o atacante Sávio substituiu o zagueiro Junior Alonso.

Com isso, o volante Allan foi recuado para a zaga, e o Atlético voltou a ter três jogadores de frente (Sávio na direita, Keno na esquerda e Vargas centralizado). O técnico Gabardo Junior também deixou o Boa mais ofensivo, com a entrada do atacante Vagner no lugar do zagueiro Márcio.

No segundo tempo, o Atlético continuou cruzando com frequência, especialmente em jogadas ensaiadas em cobranças de escanteios. Porém, o lance não dava certo.

Por baixo, criou boas oportunidades com Vargas. O atacante chileno, porém, desperdiçou duas chances claras - uma parou no goleiro adversário; a outra foi para fora.

O time que iniciou o jogo com dois atacantes passou a ter quatro aos 24 minutos do segundo tempo, com as entradas de Sasha e Marrony nos lugares de Vargas e Dylan. Pouco depois, voltou a ter três, quando o meia Nathan substituiu Keno.

(Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

Daí em diante, pouco mudou no cenário da partida. O Atlético continuou no campo adversário, mas as melhores oportunidades pararam em Carlos Miguel. Defensivamente, contou com Everson, que impediu o pior em conclusão de Igor Eto’o.

No fim, quando o empate parecia garantido, brilhou a estrela de Nacho Fernández. O meia argentino foi derrubado por Dieguinho, em lance difícil de identificar se dentro ou fora da área. A arbitragem assinalou pênalti, muito bem batido por Guilherme Arana: 2 a 1. E o resultado persistiu.

ATLÉTICO 2 X 1 BOA ESPORTE


Atlético
Everson; Guga (Mariano, no intervalo), Réver, Junior Alonso (Sávio, no intervalo) e Guilherme Arana; Allan, Tchê Tchê, Dylan (Marrony, aos 24’ do 2ºT) e Nacho Fernández; Keno (Nathan, aos 33’ do 2ºT) e Eduardo Vargas (Eduardo Sasha, aos 24’ do 2ºT)
Técnico: Cuca

Boa
Carlos Miguel; Yuri Ferraz (Nicholas, aos 35’ do 2ºT), Gabriel, André Penalva, Márcio (Vagner, no intervalo) e Carlos Henrique; Ancheta (Thiago Peralta, aos 22’ do 2ºT), Dieguinho, Romeu e Jefferson; Tiaguinho (Igor Eto’o, aos 22’ do 2ºT)
Técnico: Gabardo Júnior

Motivo: 10ª rodada da fase classificatória do Campeonato Mineiro
Data e horário: domingo, 18 de abril de 2021, às 16h (de Brasília)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Gols: Eduardo Vargas, aos 29’ do 1ºT, e Guilherme Arana, aos 44' do 2ºT (ATL); Tiaguinho, aos 20’ do 1ºT (BOA)
Cartões amarelos: Allan, aos 11’, e Mariano, aos 35’ do 2ºT (ATL); Márcio, aos 28’ do 1ºT, Thiago Peralta, aos 26’, e André Penalva, aos 43 do 2ºT (BOA)

Árbitro: Ronei Cândido Alves
Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira e Douglas Almeida Costa

Tags: galo campeonato mineiro boa atleticomg interiormg futnacional boa esporte seriea