Atlético

O MELHOR GALO

Gol para a geração do Rei

Jornalistas dos Associados Minas elegem o time de 1980 como o melhor Atlético de todos os tempos, inspirados em coluna de Fred Melo Paiva

postado em 12/04/2013 07:00 / atualizado em 11/04/2013 20:30



Leia mais no ESTADO DE MINAS desta sexta-feira

TV ALTEROSA traz reportagem especial sobre o tema, nesta sexta, às 12h25

Fascinado pelo futebol envolvente e pela boa campanha do Atlético na temporada, o colunista do Estado de Minas Fred Melo Paiva elegeu o time de 2013 o melhor de todos os tempos. Polêmica à vista! A coluna publicada no sábado serviu de inspiração ao EM para a produção de uma enquete com jornalistas dos Associados Minas sobre qual alvinegro foi o mais brilhante desde a conquista do título do Campeonato Brasileiro de 1971. Para seis dos 11 profissionais entrevistados, o Galo de 1980, que tinha Reinaldo, Luizinho, Cerezo, Palhinha, Éder e cia. é soberano sobre a formação atual e as de 1971 e de 1977. De a sua opinião na enquete do Superesportes

Mas o assunto é tão delicado que divide até dois dos protagonistas eleitos. Para Reinaldo, maior ídolo do alvinegro e maior artilheiro da história do clube, com 255 gols, o tempo dilui qualquer comparação. Ele concorda com Fred Melo Paiva, mas chama a atenção para a qualidade dos times montados em 1976 e 1977. “Aqueles também eram muito bons. Se tivesse um confronto entre eles, daria empate. Mas a equipe atual está jogando um futebol espetacular.”

Segundo Reinaldo, a versatilidade do Galo de 2013 é o diferencial. “É um time mais versátil, mais técnico e o Cuca tem várias ações de jogo em todos os setores. O Marcos Rocha tem passe perfeito, o Réver é um zagueiro ultramoderno, o Leonardo também tem qualidades. A zaga é veloz e bastante alta. O Ronaldinho dispensa comentários, é genial. O Tardelli é muito objetivo, é craque. Ainda tem a velocidade e a categoria do Bernard. O Jô é um centroavante canhoto e isso é bastante interessante”, pontuou.

Ponta de lança naquela equipe, Palhinha discorda de Reinaldo. Para ele, o Galo deste ano só vai ser melhor se conquistar um título importante. “Fica até complicado opinar, porque eu fazia parte daquele time, mas no futebol tudo é momento, fase. O de 1980 ficou marcado por mesclar experiência e juventude, e o de 2013 vai marcar se obtiver uma grande conquista. Nós fomos prejudicados pela arbitragem tanto nacional quanto na Libertadores. Não adianta ter grande potência sem ter grandes conquistas”.
Arquivo Estado de Minas


Palhinha mencionou a polêmica decisão do Brasileiro de 1980, quando o Galo foi vice-campeão depois de triunfo na primeira partida contra o Flamengo por 1 a 0, no Mineirão, e derrota por 3 a 2 no Maracanã. Para ele, não fosse a interferência da arbitragem a favor do rubro negro, o Galo teria conquistado o segundo título brasileiro e se consagrado, indiscutivelmente, como o mais eficiente de todos os tempos.

ADVERSÁRIOS

Astro do Fla, o armador Zico é reticente quanto a comparações. “O Atlético atualmente joga muito bem. Ele consegue aliar experiência e juventude. Mas aquele time do passado era um timaço, muito bom, e vários deles serviram à Seleção e tudo é questão de momento.”

O centroavante Serginho, que atuou pelo São Paulo, vê semelhanças com a geração vice-campeã em 1977. “Eu equiparo com o de agora. Um time fantástico, uma coisa absurda. Eu comparo a maneira ofensiva de jogar, mas são épocas diferentes. Os dois são excepcionais. Eu não posso escolher um só”.

Em campo no jogo que deu o campeonato brasileiro de 1971 ao Atlético, atuando pelo Botafogo, Jairzinho diz que as conquistas são seu referencial: “Cada momento é único, mas o time de 71 foi campeão brasileiro, e o de 2013 não ganhou nada até agora. O Atlético vive uma situação privilegiada hoje, pois está bem na Libertadores, mas precisa conquistar o título para provar que é melhor que aquele.” (Com Luiz Martini, do Superesportes)