Atlético
1

ATLÉTICO

Hulk reconhece rendimento ruim no Atlético e cobra sequência de Cuca

Atacante disse que precisa adquirir confiança com série de jogos no clube

postado em 24/04/2021 21:29 / atualizado em 24/04/2021 22:25

(Foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
 
 
Hulk chegou ao Atlético com status de estrela, mas ainda não vem apresentando bom rendimento com a camisa alvinegra. Após a vitória sobre o Athletic, por 1 a 0, neste sábado, no Independência, pela 11ª rodada da primeira fase do Campeonato Mineiro, o atacante reconheceu que não conseguiu mostrar bom desempenho do clube. No entanto, o jogador cobrou do técnico Cuca uma sequência de jogos.

 
“Queria muito poder jogar no meu melhor nível, mas não é só fisicamente, você precisa de confiança. Confiança requer minutos jogados, requer jogos seguidos. Infelizmente, não estou tendo isso. Queria poder falar outras coisas aqui, mas temos que ser verdadeiros. Preciso de jogos, de ritmo, de confiança para apresentar o meu melhor futebol”, disse Hulk ao canal Premiere, completando.
 
“Desde que o professor Cuca chegou aqui, eu não tive uma sequência de três, quatro jogos seguidos, o que é muito difícil. Estava há três meses sem jogar e não ter uma sequência, é muito difícil. A cobrança é grande. Tem que ter cobrança, mas para isso precisa de tempo para apresentar o futebol e aceitar essas cobranças”, completou.
 
Antes de fechar com o Atlético, Hulk jogava no Shanghai SIPG, da China. A última partida na Ásia foi realizada no dia 25 de novembro do ano passado. O atacante ficou mais de três meses sem entrar em campo até estrear pelo Galo, em 7 de março.
 
Com a camisa do alvinegro, Hulk foi titular em seis das nove partidas disputadas. Destas, apenas três foram durante os 90 minutos. Por isso, o jogador acredita que pode render mais caso tenha uma sequência na equipe.


Resposta do treinador


Na coletiva de imprensa no Independência, o técnico Cuca rebateu Hulk sobre a falta de chances na equipe. O treinador ainda confidenciou uma conversa com o atacante e afirmou que o deixaria jogar durante todo o tempo contra o Athletic.

"Eu tive uma conversa com ele antes do treinamento, perguntei em qual posição queria jogar. Ficou decidido que jogaria de 9. Depois, no decorrer do jogo, vi que ele estava com uma certa dificuldade e coloquei ele na direita. Quando vi o lateral-esquerdo avançando muito, coloquei o Savarino na direita e voltei com o Hulk para centroavante. Como havia prometido para ele, ele iria jogar os 90 minutos, independente de bem ou mal, para ele ter essa segurança, não ficar preocupado em ser substituído", disse o treinador, que comentou as chances dadas ao atacante no Galo.

"Eu tento ser o mais correto possível com todos. Mais coerente também. Às vezes a coerência é minha necessidade, mas isso é muito raro. Ele jogou praticamente todas as partidas comigo, de titular ou entrando durante elas. Hoje tem um scout, que é um raio-x do jogo. Eu pego o scout, olho o tape, olho o que o jogador fez o jogo inteiro, para aí ter minha escalação. Eu tento cuidar de todos homogeneamente. Não cuido individualmente separado de um em detrimento de outro. Cuido de todos iguais, e com o Hulk também é assim", concluiu.

Tags: galo atlético interiormg