Atlético

ATLÉTICO

Tchê Tchê encara erros e diz que manterá autoconfiança no Atlético

Meio-campista falhou em lances que resultaram em um gol do América de Cáli-COL e um pênalti a favor do Tombense, nas últimas duas partidas

postado em 03/05/2021 16:28 / atualizado em 03/05/2021 16:31

(Foto: Pedro Souza/Atlético)
Tchê Tchê viveu uma semana turbulenta. Homem de confiança do técnico Cuca, o meio-campista recém-contratado pelo Atlético tenta conquistar a torcida. Nos últimos dois jogos, porém, foi muito criticado por cometer erros em lances cruciais nas vitórias por 2 a 1 sobre o América de Cáli-COL e 3 a 0 diante do Tombense. Nesta segunda-feira, decidiu encarar as falhas e responder os questionamentos da imprensa, em entrevista coletiva.

“Não está sendo um início muito fácil para mim, admito. Não tenho problema nenhum em falar sobre isso. Foi até bom eu vir aqui nesta coletiva, porque às vezes as pessoas podem achar que ‘errou e ninguém fala nada’ ou ‘errou e está tudo bem’. Eu me cobro muito. Pode ter certeza que vou procurar não errar nada daqui para frente. Erros vão acontecer, mas é tentar minimizá-los o máximo que puder”, disse o jogador.

Na última terça-feira, Tchê Tchê foi desarmado na intermediária defensiva por Luis Sánchez, que fez o gol do América de Cáli-COL, no Mineirão, pela Copa Libertadores. No sábado, não conseguiu ter o domínio da bola num lance que terminou em pênalti para o Tombense e expulsão do goleiro Everson no triunfo sobre o Tombense, pela ida da semifinal do Campeonato Mineiro.

Ao longo da conversa com os jornalistas, Tchê Tchê foi questionado seguidas vezes sobre as falhas. E não fugiu das perguntas. “Não tenho problema nenhum em falar sobre esses pequenos erros”, disse, antes de avaliar o próprio desempenho nas duas partidas. 

“Também tenho consciência de que fiz duas boas partidas, mas, infelizmente, os erros acontecem. É trabalhar para que não aconteçam mais. Pode ter certeza que não estou feliz por terem acontecido. Podem ter certeza que vou procurar estar mais focado, atento, e quando a bola sobrar ali não ter dúvidas e, se tiver que dar um balão para fora, vou fazer isso”, afirmou.

Avaliação do chefe




O técnico Cuca foi o responsável por indicar a contratação de Tchê Tchê ao Atlético. Os dois já haviam trabalhado juntos no Palmeiras e no São Paulo. Com poucos dias desde a chegada à Cidade do Galo, o meio-campista de 28 anos estreou justamente no clássico perdido por 1 a 0 para o Cruzeiro, pelo Estadual. Daí em diante, não perdeu o status de titular.

Após o erro contra o Tombense, Cuca disse que conversaria com Tchê Tchê. “Vou conversar com ele, porque é um jogador importante para nós na construção de jogada, na movimentação, mudança de direção. Sempre que temos um princípio de jogadas ele tem sido importante. Temos que corrigir algumas coisas. Quando ele ficar como último homem, ele não pode cometer esse tipo de erro que pode ser prejudicial. Vamos corrigir isso para que não aconteça mais”, afirmou.

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Nesta segunda-feira, Tchê Tchê revelou que, nesse domingo, conversou com “uma pessoa da comissão” técnica alvinegra sobre os lances. Ele também falou sobre a nova função que tem exercido no Atlético. Acostumado a atuar mais próximo da área adversária, o meio-campista foi escalado como primeiro volante nas últimas partidas, para iniciar a construção das jogadas - como explicou o próprio Cuca.

“Sim, tenho começado as principais ações ali desde o campo de defesa. É uma coisa que você tem que tomar conta do time, sim. É claro que o pessoal da comissão e o próprio Cuca dão confiança, mas essa confiança está dentro de mim. Nada vai me abalar. Graças a Deus, aconteceram esses pequenos erros, mas a gente conseguiu sair com a vitória”, disse.

“É agradecer aos meus companheiros e melhorar o desempenho. Não estou feliz totalmente. É claro que fico muito contente pelas vitórias, mas sei que posso melhorar. Estou aqui para isso. Vou conseguir ser melhor a cada jogo, se Deus quiser”, completou o jogador.

Autoconfiança


Tchê Tchê tem como ponto forte o bom controle da bola - justamente o quesito em que falhou nas duas últimas partidas. Contra o América de Cáli-COL, o meio-campista crê que seu “pecado” foi exatamente o excesso de confiança de que poderia manter o domínio da jogada. Ele admite a necessidade de melhorar, mas não quer se deixar abalar.

“Sou um cara que tem muita personalidade, muita autoconfiança. Talvez isso tenha sido um pecado que acabei cometendo no jogo da Libertadores. Mas sei que fiz bons jogos também. Nesses últimos dois jogos, acho que vinha fazendo partidas muito boas. Infelizmente, acabaram acontecendo esses pequenos erros”, disse.

“Minha confiança se mantém. Sou uma pessoa que me cobro muito também. Não estou completamente feliz com o que aconteceu nessas últimas partidas, mas minha confiança se mantém firme. Tenho certeza que não vou cometer mais isso nos próximos jogos”, finalizou.

A tendência é que Tchê Tchê se mantenha na equipe titular do Atlético para as próximas partidas. O time alvinegro enfrenta o Cerro Porteño-PAR nesta terça-feira, a partir das 19h15, no Mineirão, pela terceira rodada do Grupo H da Libertadores.

Tags: galo atleticomg interiormg futnacional seriea tche tche