VAR não analisou possível irregularidade em gol do Palmeiras sobre Atlético

Reserva, Deyverson invadiu o gramado durante a jogada do gol de Dudu, que eliminou o Galo na semifinal da Copa Libertadores

29/09/2021 17:14 / atualizado em 29/09/2021 17:16
compartilhe
No lance do gol do Palmeiras contra o Atlético, reserva Deyverson (canto esquerdo inferior) invadiu o campo
foto: Reprodução/SBT

No lance do gol do Palmeiras contra o Atlético, reserva Deyverson (canto esquerdo inferior) invadiu o campo


A arbitragem de vídeo (VAR) do empate por 1 a 1 entre Atlético e Palmeiras, nessa terça-feira, pela volta da semifinal da Copa Libertadores, não analisou uma possível irregularidade no gol alviverde. O lance, concluído por Dudu, eliminou o time alvinegro do torneio continental após a igualdade no Mineirão.

Na jogada, o atacante Deyverson, reserva, invadiu o campo. O gol saiu aos 23 minutos do segundo tempo, após passe de Gabriel Veron para Dudu. Após a partida, torcedores do Atlético demonstraram insatisfação nas redes sociais.

Nesta quarta-feira, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) divulgou os áudios dos árbitros nos lances em que analisam - e validam - os gols dos dois times.

Os focos da análise do gol de Dudu são um possível impedimento e uma possível falta de Gabriel Veron na jogada, que não ocorreram.

Deyverson é citado, mas não pela invasão ao campo. O assistente (não identificado pela Conmebol) sugere ao árbitro Wilmar Roldán (COL) que aplique um cartão amarelo ao atacante palmeirense por comemorar o gol em direção às arquibancadas do Mineirão em provocação.

Leia o diálogo

Assistente de campo (não identificado): "Dê cartão amarelo ao jogador que está aquecendo e celebrou o gol para as arquibancadas. Esse que está em sua frente, Roldán, celebrou o gol para as tribunas".

Juan Soto (VEN), assistente do VAR: "Deram cartão amarelo para alguém."

Andrés Cunha (URU), VAR: "Número 9 (Deyverson) recebeu cartão amarelo, de que time?"

Juan Soto (VEN) , assistente do VAR:  "Do Palmeiras."

Em seguida, Cunha sinaliza que o árbitro de campo pode recomeçar o jogo, já que não identificou irregularidade no gol: "Podemos recomeçar. Gol confirmado". 

Veja o vídeo divulgado pela Conmebol (em espanhol):




Houve infração?


O Superesportes ouviu o ex-árbitro da Federação Mineira de Futebol (FMF), Antônio William Gomes, e reproduz depoimentos dos comentaristas de arbitragem Márcio Rezende, da Rádio Itatiaia , e Nadine Basttos, do SBT.

Os três divergem nos comentários. William e Nadine acreditam que o gol deveria ter sido anulado, enquanto Márcio afirma que o certo seria apenas amarelar o jogador do Palmeiras. Clique  AQUI  e leia a as opiniões do trio.

O que diz a regra?


Gol marcado com pessoa extra no campo de jogo:

Se, após a marcação de um gol e antes do jogo ser reiniciado, o árbitro perceber que uma pessoa extra se encontrava dentro do campo no momento em que o gol foi marcado:

. O árbitro deve invalidar o gol se a pessoa extra era: 

> jogador, substituto, substituído, expulso ou oficial da equipe que marcou o gol. O jogo deve ser reiniciado com um tiro livre direto, executado do local e que a pessoa extra estava; 
> agente externo que interferiu no jogo, a menos que o gol haja sido marcado de acordo com a situação descrita em "pessoas extras no campo de jogo".

. O árbitro deve validar o gol se a pessoa extra era: 

> um jogador, substituto, substituído, expulso ou oficial da equipe que sofreu o gol; 
> um agente externo que não interferiu no jogo.




Compartilhe