América

SÉRIE B

Presidente do América revela procura do Cruzeiro por Lisca antes da demissão de Ney Franco

Treinador disse a Marcus Salum que pretende continuar no Coelho

postado em 11/10/2020 21:54 / atualizado em 12/10/2020 17:45

(Foto: Mourão Panda/América)
O Cruzeiro sondou o técnico Lisca, do América, antes mesmo de demitir Ney Franco - após o empate por 0 a 0 com o Oeste, na Arena Barueri, pela 15ª rodada da Série B. O contato foi feito na sexta-feira pelo diretor executivo Paulo Assis, ex-superintendente geral do Coelho, que trabalha na Toca desde o fim de julho. Os detalhes da conversa foram revelados ao Superesportes pelo presidente americano, Marcus Salum, na noite deste domingo.

Depois do jogo de sexta-feira (vitória do América sobre o Náutico, por 2 a 0), o Lisca veio até a mim e disse que foi procurado pelo Cruzeiro, através do Paulo Assis. Ele explicou que agradeceu o convite, mas se comprometeu a ficar no América, pois é grato pela oportunidade que recebeu de começar um trabalho desde o início do ano”, disse Salum, que não conversou com nenhum integrante da direção celeste.

Contratado no fim de janeiro para substituir Felipe Conceição, Lisca vem fazendo bom trabalho no América em 2020. Na Série B, o time é o terceiro colocado, com 26 pontos em 15 jogos - sete vitórias, cinco empates e três derrotas. No clássico pela sexta rodada, o Coelho levou a melhor sobre a Raposa ao ganhar por 2 a 1, no Mineirão, em 29 de agosto.

Lisca também conduz a equipe a uma grande participação na Copa do Brasil. Após superar Santos-AP, Operário-PR, Ferroviária-SP e Ponte Preta, o América vai enfrentar o Corinthians nas oitavas de final, em jogos de ida e volta a serem realizados em São Paulo, no dia 28 de outubro, e Belo Horizonte, em 4 de novembro. O clube já garantiu R$ 7,29 milhões em premiação no torneio.

Uma fonte ligada a Lisca ouvida pela reportagem reforçou a versão de Salum. O treinador esperou por muito tempo a chance de montar um grupo desde o começo do ano, com autonomia na indicação de reforços e na aplicação dos métodos de trabalho. Como o América ofereceu essa condição, ele entendeu que o momento era de retribuir a confiança e seguir o projeto de subir à Série A.

Com Lisca, vários jogadores do América outrora desconhecidos estão em evidência. É o caso de Alê, com passagens por vários times do interior de Minas Gerais, como Uberlândia, Caldense, Coimbra e URT. Aos 30 anos, o camisa 11 se mostra um meio-campista de técnica apurada no passe vertical, nos lançamentos e nas finalizações de média distância. Quem também evoluiu bastante é o atacante Ademir, ex-Patrocinense, notabilizado pela velocidade e agilidade.

Outro técnico consultado pelo Cruzeiro com Ney Franco ainda no cargo foi Ramon Menezes, dispensado do Vasco no último dia 8. Segundo o jornalista Victor Martins, o contato ocorreu nesse sábado, véspera do jogo contra o Oeste. Ramon, de 47 anos, é cria da Toca da Raposa, onde começou a carreira como armador, em 1989. Posteriormente, destacou-se por Vitória, Vasco, Atlético e Fluminense como exímio batedor de faltas.

Cruzeiro caminha para o quarto técnico


Penúltimo colocado da Série B, com 12 pontos, o Cruzeiro caminha para ter o quarto técnico em 2020. No primeiro semestre, antes da paralisação do futebol por causa da pandemia do novo coronavírus, Adilson Batista ficou no cargo até 15 de março, quando foi demitido após derrota para o Coimbra, por 1 a 0, no Independência, pela nona rodada do Campeonato Mineiro. O substituto, Enderson Moreira, obteve duas vitórias no estadual, mas não conseguiu levar o time às semifinais por causa da desvantagem no saldo de gols para a Caldense.

Na Série B, Enderson lidou com o problema da perda de seis pontos em virtude de uma punição da Fifa ao Cruzeiro. O começo dele foi animador, com vitórias nas três primeiras rodadas. Contudo, o time acumulou cinco jogos sem ganhar na segundona (dois empates e três derrotas), e o treinador acabou desligado em 8 de setembro, um dia após o empate por 1 a 1 com o CRB, no Mineirão.

No dia 9, o presidente Sérgio Santos Rodrigues anunciou Ney Franco como substituto. Em pouco mais de um mês, o treinador contabilizou duas vitórias, um empate e quatro derrotas em sete jogos, com apenas 33,33% de aproveitamento, e não resistiu aos maus resultados em série.

Neste domingo, Sérgio Rodrigues garantiu que o clube não havia procurado nenhum profissional antes de conversar com Ney Franco. “Não existem especulações de nomes, como haviam ventilado. Não há conversa com ninguém, até porque o profissionalismo e o respeito que a gente prega determina que antes a gente converse com o técnico que estava empregado aqui”.

Apesar da alegada indefinição, o mandatário espera que o novo técnico possa iniciar os trabalhos em Atibaia, no interior de São Paulo, onde o grupo cruzeirense se concentra em um hotel até quinta-feira. Na sexta-feira, às 21h30, haverá confronto com o Juventude, no Mineirão, pela 16ª rodada da Série B.

“A partir de agora começamos a trabalhar um novo nome para que, se possível, chegue esta semana, pegue a semana de treinos e esteja à frente do time na sexta-feira. Vamos pensar com muita calma, analisar bastante e pensar bem o perfil para ficar até o fim e correr atrás dos três pontos na sexta-feira que são tão importantes para nós”.

Tags: Cruzeiro América serieb cruzeiroec futnacional Salum Lisca